Resenha: Palavras Interrompidas - Marcos DeBrito

18 novembro 2021


Edição: 1
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9786559570126
Ano: 2021
Páginas: 144
Compre AQUI

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: O corpo de uma jovem foi encontrado na praia. Carlos é chamado para identificar. É a sua filha, mas ele não a reconhece. Os cabelos tingidos de preto e a estranha tatuagem no ombro mostram que Fernanda não se parecia com a menina alegre de quem ele se lembrava. Ao reparar que em seu braço havia indícios de violência, o pai em luto começa uma busca incansável pelo culpado. Enquanto procura por respostas, Carlos se depara com segredos que a filha escondia, e sua investigação o leva a conhecer uma enigmática figura que promete ajudá-lo a encontrar o responsável pela morte de Fernanda, mas não sem antes pedir algo precioso em troca. O que um pai é capaz de fazer para descobrir a verdade? Errar, culpar, matar outras pessoas?


Mais um livro impactante do autor Marcos DeBrito.
Palavras Interrompidas foi baseado em um longa do autor, conta a história de Carlos, um homem marcado pela perda repentina da esposa e que agora tem que arcar com mais uma perda: sua filha Fernanda.

"Terrível era a dor de encontrá-la sem vida, após cultiva-la durante anos com imensa ternura. Enterrar a cria era de uma perversidade inominável." 

Fernanda foi encontrada morta na praia. Carlos é chamado para fazer o reconhecimento do corpo, mas a princípio, não reconhece sua filha - a jovem possui cabelos pretos e uma tatuagem no ombro, coisa que sua querida Fernanda não tinha. Fernanda era loira e por ser muito religiosa, não possuía tatuagens. A causa da morte é suspeita e Carlos passa a procurar o culpado pela morte de sua filha.

Eu vou parar por aqui, porque eu entendi o que estava acontecendo logo nos primeiros capítulos, mas isso não me impediu de continuar a leitura e me deliciar com os desdobramentos que estavam por vir.
Com todo o clima de luto, o autor nós faz sentir na pele o desespero do personagem, fiquei tão cativada por sua dor que mesmo já sabendo qual seria o plot, devorei cada página ávida por mais.
 
"Algo naquele símbolo parecia destilar heresia. Encara-lo provocava em Carlos um extremo desconforto, mas tomou o sentimento como a melancolia de deparar-se outra vez com a mesma marca carimbada na pele da filha morta." 

Neste livro, a escrita do autor está mais poética, o que ornou perfeitamente com o enredo. Não posso deixar de citar o lado sobrenatural também que me deixou arrepiada. Marcos tem esse dom, ele brinca com o obscuro e trás ele nos seus livros, mas também não nos deixa esquecer que o mal pode assoprar na nossa orelha, mas quem tem o poder de aceitar a sugestão, somos nós mesmos. 

Como um todo, eu só indicar. Palavras Interrompidas é um livro pequeno, mas com grandes consequências. Enquanto sentimos as dores de Carlos e questionamos todos os personagens, somos levados por um caminho misterioso e sombrio. 

"Então eu vou te ajudar. Mas não antes de você me prometer que vai fazer uma coisa que eu quero em troca. - O estranho levou o tronco para frente e escancarou a cobiça nos olhos. - Você vai ter que fim a vida do responsável pela morte da sua filha. E vai ter que fazer isso com as próprias mãos. - Um sorriso demoníaco de orelha a orelha coroou a oferta." 

A edição também está linda demais. Não sei se tem algo a ver com o enredo, mas a cor das letras vão do escuro ao claro, também possui imagens condizentes com o capítulo em questão e no final, uma imagem do capiroto bem de perto! Rsrsrsrsrs
A faro capricha demais em suas publicações, com essa não poderia ser diferente. É um exemar lindo demais. Vale a pena ter na estante. 



Sobre o autor: 




Marcos DeBrito nasceu em Florianópolis e mudou-se para São Paulo em 1998 para estudar cinema. Formado pela FAAP, é diretor e roteirista. Seu curta-metragem Vídeo sobre tela, de 2001, ganhou o prêmio especial do júri no Festival de Gramado. À sombra da lua é seu primeiro romance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário