Resenha: Nunca Saia Sozinho (Rory Moore/Lane Phillips #2) - Charlie Donlea

15 fevereiro 2021

Edição: 1
Editora: Faro Editorial
ISBN: 6586041368
Ano: 2020
Páginas: 352
Compre AQUI. - Promoção na Amazon, apenas R$ 24,90.

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: SE ACEITAR O CONVITE, NÃO IGNORE O AVISO.
Dentro dos muros de uma escola de elite as expectativas são altas, e as regras, rígidas. Na floresta, além do campus bem cuidado, há uma pensão abandonada que é utilizada pelos alunos como ponto de encontro noturno. Para quem entra, existe apenas uma regra: não deixe sua vela apagar ― a menos que você queira encontrar o Homem do Espelho... Há um ano, dois estudantes foram mortos em um massacre terrível. Desde então, o caso se tornou o foco do podcast “A casa dos suicídios”. Embora um professor tenha sido condenado pelos assassinatos, muitos mistérios e perguntas permanecem. O mais urgente é: por que tantos alunos que sobreviveram àquela noite macabra voltaram ao lugar para se matar? Rory Moore, especialista em casos arquivados, e seu parceiro, Lane Philips, começam a investigar a noite dos assassinatos, em busca de pistas que possam ter escapado da escola e da polícia. Porém, quanto mais descobrem sobre os alunos e aquele jogo perigoso que deu errado, eles se convencem de que algo fora do normal ainda está acontecendo. O jogo não acabou. Ele prospera... em segredo, em silêncio. E, para seus jogadores, pode não haver uma maneira de vencer ou de sobreviver.

Mais uma vez termino um livro do Donlea de boca aberta e pedindo aos deuses desesperadamente, que ele continue escrevendo livros com a Rory como protagonista. Como eu amo essa garota! rsrsrsrsr
Não vou fazer um pequeno resumo da obra, pois a sinopse já explica bastante sobre o enredo que o leitor vai encontrar. Posso dizer com toda a certeza que Donlea não decepciona: quando a gente pensa que ele não vai conseguir superar o livro anterior, ele vai lá e esfrega um puta lançamento na nossa cara! rsrsrsrsrs

"Ouvir a história da Escola Preparatória de Westmont deixou escapar um sussurro suave que ecoou em sua mente. Nas Reverberações, a suspeita de que aquelas vítimas que voltaram para se matar tinham uma história para contar.
Rory tomou outro gole de Dark Lord, mas não conseguia deixar de lado as palavras que Lane acabara de verbalizar.
Alguma coisa estava acontecendo com aqueles jovens no ano passado e está sendo transferido para hoje."

Vocês já perceberam que eu adoro a Rory, neh? Pois bem, ela e Lane são tipo, feitos um para o outro. Acho lindo o modo que ele trata ela e como ele sempre dá o espaço que ela precisa e como não se importa com suas peculiaridades. Mas neste volume, conhecemos outra personagem que me deixou desejosa de conhecê-la mais a fundo: Ryder Hillier. Gostei de sua sagacidade e de como não deixou de lado seus instintos. Rory e Ryder trabalharam juntas por algumas páginas, mas fiquei imaginando um livro só delas.... seria incrível! #ficaadicaDonlea :)

Como um todo, eu amei esse livro. A história toda é de tirar o fôlego e os personagens são aqueles que você demora um tempo para esquecer. Neste livro, o enredo é dividido entre os anos de 2019 e 2020. 2019 é o ano em que aconteceu os assassinatos que dão origem ao livro e um ano depois, em 2020, Lane é convidado para participar de um podcast que conta a história dos assassinatos. Mas como a sinopse mesmo diz, alguns pontos encontrados na cena do crime não batem, o que mais incomoda a polícia são os jovens sobreviventes continuarem indo até os trilhos do trem para se suicidar. 

"Então, eu devia ter aberto a porta do meu quarto. Devia ter saído para o corredor e assumido a responsabilidade pelo que fizera. No entanto, não fiz isso, Continuei ajoelhado e vi pelo buraco da fechadura quando meu pai estendeu a mão sobre a mesa, agarrou a minha mãe pelo cabelo e a puxou, arrastando-a pelo tampo. Naquela noite, ele bateu nela. Eu o vi pelo buraco da fechadura. Vi o homem que eu odiava bater na mulher que eu amava.
No dia seguinte, o meu pai estava morto."

Essa parte é muito sinistra, porque temos a narrativa do assassino mas não sabemos quem ele é. Ficamos sabendo de seu passado, como ele se tornou o que é, sua mente doentia e pragmática. A frieza de cometer um crime e sair impune. A escrita do autor é sensacional porque leva a gente até o sentimento do personagem. 
Eu fico encantada com a mente dos escritores que conseguem criar um personagem tão perfeitamente anormal como este. Eu ficava ansiosa para chegar nos capítulos que era ele só para ter um pouco mais dessa mente doentia dentro da minha... acho que tenho algum problema, não sei! kkkkk

Não perca a oportunidade de ler mais um livro incrível de Charlie Donlea. A edição da Faro Editorial parece ser enorme, mas não é: o livro possui apenas 350 páginas que, tenho certeza, o leitor vai devorar. A diagramação está perfeita - possui divisões por Parte e Capítulos. A fonte é de um tamanho confortável para a leitura e gente, o que mais amo nos livros do autor além das histórias: A capa! Que capa linda! Vale a pena ter um exemplar tão bonito fisicamente na estante!
Enfim, só posso indicar. Aqui no blog tem resenha de todos os livros do autor, vocês podem procurar ali em cima em Resenhas, ou clicar abaixo nos títulos para conferir o que achamos de cada um.




Sobre o autor: 




Charlie Donlea vive em Chicago com sua esposa e dois filhos. Um de seus hobbies é pescar em lugares praticamente desertos do Canadá. Essas viagens por estradas paradisíacas inspiraram o cenário para o seu livro de estreia. Ávido leitor, é também apaixonado. Quando decidiu escrever seu primeiro livro, ele se preparou para produzir algo como tudo o que gosta de encontrar nos seus filmes e livros prediletos: uma história capaz de deixar o leitor refletindo sobre ela por muito tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário