Resenha: Por que não podemos esperar - Martin Luther King

14 setembro 2020

Edição: 1
Editora: Faro
ISBN: 9786586041262
Ano: 2020

Páginas: 176
Compre AQUI
            
                   Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: É importante entender a história que está sendo feita hoje, porque ainda há mais por vir, porque a sociedade americana está perplexa com o espetáculo do negro em revolta, porque as dimensões são vastas e as implicações profundas. PALAVRAS PROFERIDAS EM 1964... Em 1963, no Alabama, talvez o estado com maior segregação racial nos Estados Unidos, uma campanha lançada por Martin Luther King demonstrou ao mundo o poder da ação não-violenta. Neste livro, lançado em 1964, o vencedor do Prêmio Nobel da Paz narra esses eventos, traçando a história da luta pelos Direitos Civis nos últimos três séculos mas olhando para o futuro, avaliando o trabalho que precisava ser feito para a igualdade de direitos e oportunidades aos negros e a seus descendentes. Trata-se de uma análise eloquente dos fatos e pressões que impulsionaram o movimento dos Direitos Civis até as marchas públicas que tomaram as ruas naquela época e inspiram as de nosso tempo. Mais de cinco décadas após sua morte, as palavras de Luther King se mostram atuais para o mundo. No livro, o autor descreve os acontecimentos cruciais que impulsionaram a campanha pela justiça racial, oriunda de um movimento nascido em balcões de lanchonetes e reuniões de igreja, mas que se fez ressoar em todo o planeta. Por que não podemos esperar é um manifesto único, um testemunho histórico e também um alerta. A INJUSTIÇA NUM LUGAR QUALQUER É UMA AMEAÇA À JUSTIÇA EM TODO O LUGAR. MARTIN LUTHER KING JR.

Para podermos lutar por justiça hoje, precisamos aprender sobre o que aconteceu no passado, mas como podemos conhecer o que realmente aconteceu se os livros em sua maioria contam o lado dos brancos?
Porque Não Podemos Esperar foi lançado pela primeira vez em 1964 e posso afirmar que nunca foi indicado a leitura do mesmo na época em que eu estudei.
Aqui Martin Luther King conta sob seu ponto de vista, a respeito da campanha pela justiça racial; e como ele mesmo diz não foi só pelo direito a voto ou pelo direito de usar o mesmo banheiro. A luta foi por justiça.
   " O homem nasceu na barbárie, quando matar seu próximo era uma condição normal da existência. Ele ficou dotado de consciência. E agora chegou o dia em que a violência contra outro ser humano deve se tornar tão repugnante quanto comer a carne do outro."
O que sempre aprendemos é que a escravidão acabou e todos temos os mesmos direitos, mas ainda vemos a injustiça nos dias de hoje, ainda vemos pessoas negras sendo assassinadas por sua raça, ou seja, não mudou muita coisa, o racismo e desigualdade apenas foram mascarados.
Neste livro vemos o relato de Martin Luther King sobre as pessoas que lutaram, morreram e perderam entes queridos por uma causa maior, por querer a liberdade garantida por lei, mas que na pratica nunca funcionou.
"Após o cumprimento parcial e relutante de alguns termos do acordo, os caleiros noturnos do seculo XX tiveram mais uma reviravolta sanguinária no palco. Em uma manhã de setembro cheia de horror, eles explodiram as vidas de quatro garotas inocentes que estudavam em suas classes de Escola Dominical. Um policial matou outra criança nas ruas, e jovens brancos cheios de ódio chegaram ao clímax do dia com um homicídio arbitrário de um menino negro que andava de bicicleta inofensivamente."
Esta é uma história de muitos heróis, mas também de pessoas comuns que só queriam o direito de ir e vir e de serem respeitadas.
Saber que os brancos preferiam fechar parques e estabelecimentos só para não ter que usar junto com os negros é ridículo, saber que alguém precisa lutar somente para usar os mesmos lugares que outros é muito triste. Saber que crianças foram mortas por homens que não a aceitavam por sua raça, é inaceitável, mas ainda presenciamos isso nos dias de hoje.
"Assim como o raio não produz som até que atinja o solo, a Revolução Negra foi gerada silenciosamente. Mas, quando aconteceu, o flash revelador de seu poder, o impacto de sua sinceridade e do seu fervor exibiu uma força de intensidade assustadora.Com trezentos anos de humilhação, abuso e privação não se podia esperar que o negro encontrasse a voz em um sussurro."
Martin Luther King sempre optou pela ação não violenta, mostrando que é possível lutar por seus direitos sem ferir o próximo, com a união e o amor, não se silenciando diante da injustiça.
Os testemunhos neste livros fazem parte da história, de uma parte muito importante e não devemos deixar de dividir o que foi a história da humanidade, e não só a história dos brancos como estamos acostumados a ver.


Sobre o autor:


 MARTIN LUTHER KING JR. foi um pastor protestante e ativista político norte-americano, que se tornou líder do movimento dos direitos civis nos Estados Unidos de 1955 até seu assassinato em 1968. A trajetória de King inspirou o mundo com sua luta pela igualdade racial a partir da prática da desobediência civil e da luta sem violência, inspirado em Henry Thoreau e em Mahatma Gandhi, respectivamente. Seu assassinato causou forte reação nas comunidades negras dos EUA e gerou manifestações em inúmeras cidades. King foi premiado postumamente com a Medalha Presidencial da Liberdade e a Medalha de Ouro do Congresso. Em 1973 foi criado o Martin Luther King Day, hoje feriado nacional pela memória e conscientização da persistente segregação racial.

3 comentários: