Resenha: Quase Rivais - J. Sterling

27 agosto 2020

Edição: 1
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9786586041149
Ano: 2020
Páginas: 160
Tradutor: Ricardo Lelis
Compre AQUI

                       Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Suas famílias são inimigas... Masserá que é possível resistir a umalouca paixão?James é louco por sua vizinha Julia... Julia brilha e se arrepiacada vez que esbarra com James... a combinação seriaperfeita se suas famílias não fossem rivais há gerações. E, como se não bastasse, os dois sãoconcorrentes no trabalho.Mas, mesmo com tudo jogando contra, quanto mais tentam resistir, mais forte fica odesejo. James e Julia entendem que precisam se manter afastados. O problema é: como?J. Sterling, autora conhecida por seus romances incríveis, recria em Quase Rivais a maiorhistória de amor de todos os tempos. Neste Romeu e Julieta dos tempos modernos, há alguns detalhes que se repetem, mas o que poderia ser diferente?
Ultimamente estou me descobrindo uma amante de livros com histórias recheadas de clichês; e Quase Rivais é um desses livros. A autora apostou em uma releitura de um sucesso que todos conhecem: Romeu e Julieta; tanto que no inicio de cada capítulo encontramos um trecho dessa bela tragédia de William Shakespeare.
A famílias inimigas aqui são os La Belle e os Russo. Júlia e James cresceram sabendo que eles devem se odiar por respeito as suas respectivas famílias, mas por  mais que tentem não conseguem resistir ao amor que sentem um pelo outro.
"Ser criado não só para odiar, mas também para ficar longe da única garota que estrelara todas as minhas fantasias de adolescente tinha sido a desgraça da minha existência. Você tem alguma ideia de como é difícil "ficar longe" da garota da porta ao lado?"  
Júlia trabalha na vinícola de sua família, e todo ano concorre contra a família de James e sempre ganha. A rixa vem de infância, Julia tenta lembrar das vezes que James a irritou e James sempre faz o mesmo, tentando assim apagar esse fogo que arde sempre que se encontram.
A história flui muito bem, não fica naquela enrolação que parece que nada vai acontecer. A autora segue um linha que faz com que a leitura se torne gostosa e leve.
Os personagens principais são cativantes (gosto mais de Julia, mas James é um cara bacana). Julia é uma mulher forte e que sabe o que quer e James é um cara tranquilo, a não ser quando o assunto é Julia.
"Soube imediatamente que meu corpo se dobraria e se curvaria aos seus caprichos, suas mãos controlando nossos passos, sua língua alimentando nosso desejo mutuo. Não consigo me lembrar da última vez em que alguém me fez sentir tão viva."
Os personagens secundários também tem espaço garantido na história. Jeanine é a melhor amiga de Julia e sempre está por perto para ajudar e também provocar a amiga em relação a James. Aquela amiga que consegue tirar um sorriso em momentos mais difíceis.
Dane é amigo de James, sempre tentando dar conselhos, mesmo que alguns não sejam tão bons assim.
Quase Rivais é uma leitura para divertir, mesmo com toda a rivalidade da família, a história segue bem leve e engraçada. Sem mencionar os "momentos quentes".
"Eu tinha certeza de que, se Julia pudesse me assassinar e safar-se da culpa ela ao menos tentaria. O olhar de morte com o qual ela penetrava agora apenas aumentava meus sentimentos sobre o assunto.
A edição da Faro está linda, só achei que a representação dos personagens da capa não condizem com a descrição no livro, mas fora isso, tudo ficou perfeito, a gramatura dos livros da Faro são maravilhosas, a fonte em tamanho ideal para leitura.


Sobre a Autora:




J. Sterling nasceu no sul da Califórnia e cresceu assistindo a jogos de beisebol do Los Angeles Dodgers e jogando softbol. Ela se formou em rádio, tevê e cinema, e trabalhou na indústria do entretenimento grande parte de sua vida. O jogo perfeito é o primeiro livro da trilogia The Game





Nenhum comentário:

Postar um comentário