Resenha: Mascarado pelo Desejo - Josy Stoque

26 abril 2019


Edição: 1
Editora: Astral Cultural
ISBN: 9788582467619
Ano: 2018
Páginas: 352

Compre AQUI / E-book Kindle

Livro cedido em parceria com a editora/autora
Sinopse: Alanna é uma mulher bem-sucedida que acredita que não precisa de homem para nada. Depois de muitas decepções, ela fica desanimada com a ideia de se relacionar de novo e desiste de ficar procurando um novo amor. Para piorar a situação, sua avó de 80 anos — que tem uma vida sexual melhor que a dela, é superliberal e lhe dá presentes de sex shop —, contrata um mágico para sua festa de aniversário. O que Alanna jamais poderia imaginar é que o mascarado que aparece em sua vida – um mago – é, na verdade, um stripper e está disposto a usar todos os seus truques a fim de seduzi-la.



Eu sou suspeita para falar sobre os livros da Josy. Sou fã incontestável de seus livros e da pessoa que ela é. Essa mulher me ensinou muito sobre mim mesma e a gente nem se conhecia pessoalmente. Depois que a conheci então... essa admiração que sinto por ela só se intensificou.
Então, toda vez que Josy Stoque lança um livro, eu dou um jeito de comprar, coloco na minha lista de desejados e fico só esperando o melhor momento (ela vive fazendo promoções e as vezes, deixa e-books de graça na Amazon). Ainda não tinha comprado meu exemplar de "Mascarado pelo Desejo" quando ele chegou aqui enviado diretamente da editora para os parceiros da autora. Nem preciso dizer que adorei, neh? <3
"Eu queria afastá-lo a todo custo, mas também puxá-lo para mim, e deixá-lo fazer comigo tudo o que eu queria fazer com ele."
"Mascarado pelo Desejo" tem seus altos e baixos, confesso que tem outros livros da autora que li e que gostei mais. Mas senti uma pegada diferente... acredito que Josy tenha invertido o papel nessa história: Todas as suas "mocinhas" são donas de si, feministas e liberais. Alanna, a personagem principal deste livro, não deixa de ser também, mas Josy incrementou nela o conservadorismo e machismo que sim, ainda encontramos nas mulheres, mas que vem principalmente de homens.

Alanna é uma personagem que me causou muita raiva durante a leitura. Ela lutou muito para ter seu lugar ao sol e cansou dos "embustes" que a vida lhe dava. Esta bem feliz sozinha, com seus sexy toys, quando conheceu O Mago na festa de aniversário de sua avó.
A princípio, claro que Alanna o deseja, um stripper másculo, ótimo dançarino e totalmente sedutor? Quem nunca? rsrsrsrs Mas aí vem o julgamento, machismo e conservadorismo que Alanna tem de sobra: Um homem desses não serve para relacionamento duradouro; um homem que vende seu corpo não merece respeito; ele deve dormir com todas as mulheres que conhece, ele não merece minha atenção... blábláblá.
"Eu sentia falta de ter alguém por perto para cuidar de mim também, mas não conseguia me entregar às mãos de ninguém, mesmo que fossem da família. Não queria ser um peso para eles e isso me tornou uma rocha, forte e impenetrável."
A família de Alanna é bem liberal, principalmente sua avó. Mesmo assim, Alanna a ama e não deixa de ouvir seus conselhos.
O começo do livro foi bem divertido. Dei boas risadas e fiquei bem entusiasmada com as apresentações do Mago. Depois, o livro foi ficando entediante e eu rezava para a Alanna sonhar com o Mago ou dar uns pega no seu funcionário, Miguel, para aplacar a vontade que eu tinha de matá-la.
Ela não é de todo mal, eu entendi o que a autora quis fazer, mas gente, como essa garota reclama.

Não posso falar muito sobre o Mago nem sobre Miguel. Claro que logo no que eles aparecem, podemos entender o que está acontecendo, mas o gostoso de histórias assim é nos deixar levar e fazer de conta que não sabemos o que vem por aí.
"- É... quis dizer que conheço o Mago há mais tempo que você, Clarissa. - Senhor! Eu só estava piorando as coisas! Revirei os olhos. - Aliás, acho uma comparação injusta. O que um cara que vende o próprio corpo e prefere uma vida fácil tem a ver com um homem honesto, trabalhador e empenhado como Miguel? - fiz uma breve pausa: - NADA!"
A escrita da Josy é maravilhosa. Não me importa o que essa mulher escreva: eu sempre vou ler. A narrativa em primeira pessoa pelo ponto de vista de Alanna foi boa e as vezes, entediante. Desejei internamente encontrar alguns capítulos sob o ponto de vista do Mago, mas isso não acontece, infelizmente. Suas cenas se sexo são descritivas e sem exageros, o que torna tudo mais real. Seus personagens são verdadeiros e sempre trazem algo da vida real para nos dar um toque durante a leitura. "Mascarado pelo Desejo" foi um bom passatempo, soube me entreter, dividir minhas opiniões, desejar um final feliz e rir. Claro que eu não posso deixar de mencionar sobre a coreografia "I Want It That Way". Te amo ainda mais por isso, Josy! Nunca mais ouvirei essa música sem pensar no Mago de tanguinha. BSB é um amor que nunca consegui me desfazer e até hoje ainda surto com eles....

A editora tbm caprichou na edição. Essa capa gente... pelo amor de Deus! Que homem!!! Minha sobrinha de 13 anos toda vez que chegava aqui em casa e me via lendo falava: "- Lendo o livro taradinho, neh?" kkkkkk Essa capa leva a perdição, fato! rsrsrsrrs
A diagramação é simples, com letras em tamanho confortável para a leitura e bom espaçamento. Encontrei poucos erros de revisão, nada que prejudicasse minha leitura.
Do mais, vcs precisam conhecer O Mago. Tenho certeza que seu gingado vai enlouquecer vcs! heheheheheheh <3
"No fim, eu não passava de uma mulher sem sexo, babando, descaradamente, em um belo exemplar masculino."


Sobre a autora:



O primeiro livro da carreira de Josy Stoque foi a saga sobrenatural Os Qu4tro Elementos, traduzida para o inglês pela AmazonCrossing.
Ela escreveu também Insensatez, em parceria com Gisele Galindo, Estrela; a trilogia Puro Êxtase, sucesso de vendas na versão digital; o romance erótico policial Não Espere pelo Amanhã, que se tornou Best-seller da Amazon; e Eu Nunca, com Mila Wander, um dos mais vendidos da Veja Online.
Josy é pisciana, sonhadora e, claro, viciada em livros. Tanto que a sua gatinha tem nome de personagem: Tris.
Ah! Ela tatuou os 4 efes da protagonista de Puro Êxtase, para nunca se esquecer de viver intensamente.



Um comentário:

  1. Oi, lindona, obrigada. Eu acho incrível a mulherada com raiva da Alanna por seu machismo. Fiz isso de propósito. Não tem nada mais claro para explicar os danos do machismo do que alguém sendo machista. E vindo de uma mulher, mesmo empoderada, dói. A mensagem foi bem passada nessa história. Beijos

    ResponderExcluir