Novidades e Lançamentos: Faro Editorial

02 maio 2018


Oi pessoal!!!

Estamos meio sumidas neh? Pois é... vida de adulto não é fácil! rsrsrsrs Mas não vamos deixar o LdE de lado viu? Assim que possível, voltaremos com tudo!
Hoje trago para vcs os lançamentos de maio da Faro Editorial. Sem ficção dessa vez, mas mesmo assim, ótimos livros para se ter em casa. Confiram:



Faro Editorial lança obra que traz as principais de F.A. Hayek sobre o livre mercado.
“Menos Estado, Mais Liberdade” explica de maneira objetiva as ideias que norteiam o Pensamento Liberal.

Faro Editorial lança obra que traz as
principais de F.A. Hayek sobre o livre
mercado.
Menos Estado, Mais Liberdade
explica de maneira
objetiva as ideias que norteiam o Pensamento Liberal
Faro Editorial lança obra que traz as
principais de F.A. Hayek sobre o livre
mercado.
Menos Estado, Mais Liberdade
explica de maneira
objetiva as ideias que norteiam o Pensamento Liberal
Laureado com o Prêmio Nobel de Economia, F.A. Hayek , revolucionou a compreensão dos mercados e, em seguida, desafiou profundamente a compreensão pública do governo. Hayek é um dos poucos cientistas sociais dos últimos 200 anos que repensou completamente a relação entre indivíduos, mercado e estado. Mas, enquanto inúmeros trabalhos discutiram a importância de Hayek e suas ideias, nenhuma obra se concentrou em tornar as ideias básicas acessíveis a não-economistas.
A Faro Editorial lança este mês “Menos Estado, mais liberdade” do economista político e filósofo austríaco Friedrich August von Hayek. O livro aponta e destaca as principais propostas de Hayek ao longo dos anos, explicando em linguagem não acadêmica sua visão e críticas sobre a natureza da sociedade e dos mercados.
“Nenhuma figura teve influência tão grande sobre os intelectuais por trás da Cortina de Ferro quanto Friedrich Hayek. Seus livros, traduzidos e publicados por iniciativas independentes, embasaram a oposição ao regime e contribuíram para o colapso da União Soviética.” - MILTON FRIEDMAN - Prêmio Nobel de Economia.
“O trabalho de Hayek marca o começo do debate mais fundamental no campo da filosofia política.” - KARL POPPER – Filósofo


“Pós Verdade” do jornalista Matthew d’Ancona debate o novo uso da mentira: as fake news
Um dos jornalistas políticos mais respeitados da Inglaterra apresenta neste livro um cenário aterrador: o da disseminação da mentira como mecanismo de manipulação na sociedade moderna


Pós-verdade, segundo o dicionário, tem a seguinte definição: Quando os apelos à emoção, a crenças e a ideologias têm mais influência em moldar a opinião pública que os fatos objetivos.
Bem-vindos à era da pós-verdade: uma época em que a arte da mentira está abalando as próprias fundações da democracia e do mundo como o conhecemos. Tudo o que não foi previsto por todos os analistas, aconteceu: o Brexit, a eleição de Donald Trump, o ceticismo em relação ao aquecimento global, as campanhas contra vacinação e a perseguição aos grupos que pensam o contrário foram acontecimentos que se basearam no poder de evocar os sentimentos das pessoas e desprezar o que é verdade.
O que tudo isso significa e como podemos defender a verdade em uma época de mentiras, os atualmente chamados fatos alternativos?
A Faro Editorial lança este mês “Pós Verdade - A nova guerra contra os fatos em tempos de fake news” do jornalista político britânico Matthew d’Ancona. Em Pós-verdade, o jornalista britânico Matthew d’Ancona mostra por que, depois que se perde a confiança, as teorias conspiratórias prosperam, a autoridade da mídia definha e as emoções importam mais do que os fatos. Além disso, revela o motivo pelo qual as campanhas políticas atuais recorrem à pós-verdade e aos fatos alternativos para conquistar eleitores resignados e apáticos.
Matthew investiga como chegamos até aqui, explica por que a resignação não é uma opção e revela como podemos e devemos nos defender e contra-atacar.
“O polêmico jornalista, Matthew d’Ancona faz perguntas que são urgentemente atuais e inegavelmente importantes.” — JOHN GRAY, THE GUARDIAN
“Mesmo para aqueles que se revigoram com obras perturbadoras, este livro será surpreendente.” — NICK COHEN, OBSERVER


Faro Editorial lança “12 lições da História para entender o mundo”, dos autores premiados com o Pulitzer 
Um dos mais interessantes estudos sobre a humanidade ao longo da história, escrito pelos historiadores Will e Ariel Durant


É comum para o historiador encarar muitos questionamentos ao terminar uma pesquisa profunda sobre a história da humanidade se perguntar: para que serviu todo esse trabalho? Aprendeu mais acerca da natureza humana do que o homem comum aprenderia sem nunca abrir um livro? Conseguiu obter da história algum esclarecimento sobre a nossa situação atual, alguma orientação para nossos julgamentos e políticas? Encontrou algum padrão na sequência de fatos passados que permitam prever ações futuras dos homens ou até o destino dos países? É possível que, afinal, “a história não tenha sentido”, que não nos ensine nada e que o vasto passado tenha sido apenas um ensaio fatigante dos erros que está destinado a cometer no futuro?
Essas e outras perguntas são respondidas pelos historiadores Will e Ariel Durant em “12 lições da História para entender o mundo”, lançado este mês pela Faro Editorial.
Neste livro, os vencedores do Pulitzer apresentam uma visão geral sobre os principais temas da vida humana e as lições que podemos extrair ao observarmos essas experiências em 5 mil anos de registros da história mundial. Trata-se de uma jornada pela história, explorando as possibilidades e limitações da humanidade ao longo do tempo.
Escrito para leitores curiosos por História, os autores apresentam numa versão concisa, uma gama de conhecimentos relacionados a 12 temas: geografia, biologia, raça, caráter, moral, religião, economia, socialismo, governo, guerra, crescimento & decadência e progresso.
Uma obra-prima para todos que querem entender a essência do comportamento humano, de onde viemos e para onde vamos, não em outras vidas, mas a raça humana, aqui mesmo na terra. Relacionando ideias e realizações com ciclos de guerras, crescimento e conquistas, os autores revelam como a História oferece caminhos e um sentido ao nosso próprio tempo.
“Nosso conhecimento de qualquer acontecimento passado é sempre incompleto, possivelmente impreciso, ofuscado por evidências ambivalentes ou historiadores preconceituosos, e talvez até distorcidos pelo nosso patriotismo e por nosso partidarismo religioso.”