Resenha: Renitências do Amor (Predestinados #2) - Lígia Ortiz

06 abril 2018


Edição: 1
Editora: Independente
ISBN: 9788592188313
Ano: 2018
Páginas: 462
Skoob
Compre AQUI
.
Livro cedido em parceria com a autora
Há muito Thais é sinônimo de liberdade. Criativa, vivaz e libertina, faz o que dá na telha e vive o hoje intensamente. No melhor momento de sua vida profissional, a amizade colorida com Max vai muito bem, obrigado. E mesmo com a imprevisibilidade vibrando a cada dia, mantém tudo sob controle. Contudo, Nalu, sua melhor amiga vai se casar. E como agora está radicada em Londres, resta à Thais e à Laura – mãe da noiva – a organização da festa. E é aí que mora o perigo. De volta à fazenda, frente a frente com Lucas, irmão de Nalu, o passado ressurge como uma ferida fétida que escancara a cada provocação trocada. Em meio a docinhos, lírios, insultos e injúrias, os arranjos para o casamento são feitos e o que estava adormecido ameaça acordar. Duas verdades, dois lutadores, duas bombas prestes a explodir.
Há muito mais a se esperar deste casamento que um simples “sim”.




Resenha do primeiro livro, Nas Proximidades do Amor, AQUI.
PS: a leitura dos volumes pode ser realizada separadamente.


Logo depois que li o primeiro livro, Nas Proximidades do amor, confesso que fiquei ansiosa para o lançamento desse segundo volume. O motivo? Thais Benitez.
Thais é a melhor amiga de Nalu, a personagem principal do primeiro volume. Me apaixonei por Thais rapidamente, pois a mesma é uma mulher forte, decidida, amiga, sincera, altruísta e faz amigos por onde passa. Thais também é uma mulher moderna, dona de seu corpo e mente, não se prende a regras, se ela quer sexo, bem, sexo ela tem. Independente de com quem seja. Assim, fiquei intrigada com a raiva que Lucas, irmão gêmeo de Nalu, sente por ela. E parece que a raiva é recíproca. Só que, como o livro era sobre Alec e Nalu, fiquei remoendo essa história mal acabada até agora. Enfim, posso morrer em paz, consegui entender o que desencadeou o ódio nutrido por ambos, rsrsrsrsr.
"A visão clama por mim, me atrai, seduz. Algo ressurge violentamente, um desejo escuso, um encanto proibido, o reconhecimento malquisto de que um resíduo do amor que senti por ela ainda vive em algum lugar de mim."
Nalu vai se casar! Isso mesmo! Isso pode parecer spoiler do primeiro livro, mas vamos ser sinceros ok? Isso é um romance e, em romances, o final feliz acontece (ás vezes). Pois bem, Nalu vai se casar e, estando morando em Londres, fica impossível organizar a festa de casamento em Lins, na fazenda da família. Porém, Nalu nada boba, pede ajuda a sua melhor amiga, Thais para ajudar sua mãe na fazenda com a organização. Thais insiste em negar, mas... Nalu é sua amiga, sua irmã! Como deixá-la na mão em um momento desses? Pois bem, mesmo não querendo, Thais parte para Lins, seu inferno pessoal, a casa de Lucas.

No começo, ficamos assustados com a raiva que um sente pelo outro. Thais gosta de Lucas, mas algo que o rapaz fez no passado a assombra e toda a sua determinação está em fazer seu coração parar de bater por ele.
Lucas nunca se apegou a ninguém como se apegou a Thais. Ele realmente gosta dela, mas toda a sua masculinidade e o machismo com o qual cresceu no interior, não deixa seus sentimentos serem revelados. O que fazer então?
"- Seu sujo dos infernos. Você fala de mim como se me conhecesse profundamente, mas não me conhece em nada. NADA! - Meu peito arde em chamas e vejo em vermelho. - Não sou esse ser asqueroso que você pinta. Vou pra cama com quem EU QUERO, com quem EU DESEJO, e não com qualquer um. Só que o fato de eu ser mulher e fazer o que me dá na telha o incomoda profundamente. Você continua sendo um machista hipócrita que acredita que toda mulher precisa ter um determinado modus operandi, ou então ela não presta. Porque, claro, tudo o que uma mulher é está relacionado em como ela se comporta sexualmente, e não em como ela é como ser humano. Importa se eu sou uma boa pessoa? Se sou leal? Se sou gentil? Se sou a porra de uma pessoa caridosa ou altruísta? Quer saber, você me enoja com esses pensamentos pequenos e retrógrados. Faça-me um favor, enfie toda a sua benevolência e tentativa de ser gentil no seu rabo e me deixe em paz! "
É difícil falar de um livro que trás tantas questões éticas, machistas e preconceituosas. Ligia Ortiz acertou em cheio ao criar personagens tão diferentes e fazê-los se apaixonarem ao ponto de um precisar abrir mão de suas convicções para estar com o outro.
Lígia também soube moldar a história sem que se tornasse clichê e previsível. Eu, confesso, esperei um final diferente, pois percebia as páginas se acabando e nada de decisões serem tomadas.
Por ser um romance hot, vamos encontrar muitas cenas quentes e sensuais. Como já conheço a escrita da autora, isso não foi surpresa para mim. Ligia escreve com maestria cenas ardentes, sem exageros e dentro do que considero legível.

A narrativa é em primeira pessoa, alternando entre Thais e Lucas, com isso, podemos facilmente, conhecer o caráter dos dois. Também somos levados ao passado para conhecer a fundo, o que aconteceu entre os dois para resultar no momento atual. Podemos entender a recusa de Thais e o machismo de Lucas. Não vou defendê-lo, Lucas não precisa e nunca vai precisar de defesa, ele sofreu o que tinha que sofrer, colheu o que plantou. Acredito que, ao finalizar o livro, Lucas ainda seja um pouco do que sempre foi, mas melhorou muito no decorrer das páginas.
"... Sabe qual o nome disso, Lucas? Machismo, que se traduz em insegurança. Veja agora, você está na esbórnia como se não houvesse amanhã, e por mais que você pegue geral, ninguém vai te julgar por isso. E quer saber de uma coisa? Não deveriam julgá-la também."
A trama se desenrola facilmente. Logo somos fisgados pelos personagens principais e também pelos secundários (Ligia, o próximo livro é o da Clarisse neh?, por favor, diz que sim!!!!). Thais encanta com sua vivacidade mas também sofremos com ela as consequências de ter uma mãe que vive de aparências. Nada é perfeito e, junto com o enredo desse livro, vamos descobrindo que nem nos livros, os finais felizes são previsíveis.

Do mais, só posso indicar! Minha única ressalva vai para os pequenos erros de revisão que encontrei durante a leitura mas que não prejudicaram em nada o amor que estou sentindo por este livro. A Capa é linda e condiz com o enredo. Imaginei os dois personagens nesse abraço intenso por diversas vezes durante a leitura.
Enfim, é um puta livro. Merece ser lido, apreciado, vivido! Claro que recomendo! <3


Sobre a autora:




Ligia Ortiz nasceu na capital de São Paulo em 1981. Inquieta por natureza cursou Publicidade e Propaganda, atuou em agências de grande porte e trabalhou com grandes contas. Encontrou na escrita um jeito de acalmar seu incansável instinto criativo. Nas Proximidades do Amor é seu primeiro romance adulto publicado exclusivamente na Amazon.