Li até a página 100 e...

02 fevereiro 2018


Oi gente!!
Eu andava um pouco parada com as leituras do gênero Erótico, como você devem ter percebido. Sabe quando você lê o mesmo gênero compulsivamente e logo depois enjoa? foi isso que aconteceu comigo. Mas, recentemente arrumando a estante eu encontrei essa serie, e pasmem: eu nunca tinha lido nada da Sylvia Day. Dai resolvi me jogar na leitura. Curiosos para saber de qual obra estou falando? Continue lendo e confira!


Eva Tramell tem 24 anos e acaba de conseguir um emprego em uma das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela - e provavelmente qualquer outra pessoa - já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer - Eva acaba se entregando. Uma relação intensa começa. O sexo é considerado por eles como incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam - o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.



Primeira frase da página 100:
""Sério?" Virei o vidro de cabeça para baixo e dei um tapinha no fundo."

Do que se trata o livro:
Como todo livro erótico, o tema não foge muito do padrão. Eva acaba de se mudar para a cidade e consegue um ótimo emprego em uma empresa super conceituada no ramo da publicidade.Tudo ia indo muito bem, mas acaba ficando melhor ainda quando ela conhece o Gideon Cross, o dono da empresa. Gideon é um playboy, milionário e psicologicamente instável, mas que exala sensualidade. O resto vocês já imaginam, né?

O que está achando até agora:
Mais do mesmo, mas a escrita da autora é muito boa, está me prendendo apesar da trama clichê e do linguajar.

O que está achando do protagonista:
Um pé no saco!

Vai continuar lendo?
Sim, sim!!

Melhor quote até agora:
“Olhei para Gideon e o surpreendi me olhando com uma expressão indecifrável. Dentro de mim, tudo girava em uma confusão de luxúria e ansiedade. Não tinha a menor ideia do que estava fazendo com ele, só sabia que não era capaz de parar, nem mesmo se quisesse.”
Não é o melhor, deixo claro, mas é o que mais traduz a vibe 50 tons misturado com Crepúsculo (o que acaba sendo redundância, já que um é inspirado no outro)

Última frase da pagina 100:
"Balancei a cabeça e dei outra mordida no sanduíche."

Em breve sai a resenha completa!! Aguardem!!