Resenha: Querido Dane-se - Kéfera Buchmann

20 janeiro 2018

Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788584390809
Autor: Kéfera Buchmann
Ano: 2017
Páginas: 224

Sinopse:
Sara tem muitos sonhos, mas também vários problemas para enfrentar. Para começar, seu namorado acabou de uma hora para outra com ela e por WhatsApp. Pouco depois, ela descobriu que o desgraçado está namorando uma socialite linda e admirada. Parou por aqui? Não: Sara, que é estilista de formação, mas trabalha como costureira, atualmente está de plantão na casa dessa socialite, arrumando as roupas dela.Enquanto lida com o ressurgimento do ex e tenta voltar a achar graça na solteirice, Sara sofre com seu maior medo: fazer trinta anos sem achar a sua cara-metade. Entre lágrimas e muita risada, no entanto, Sara começa a repensar sua vida. E a perceber que está diante de uma pessoa cujos anseios e gostos conhece pouco: ela mesma.Querido dane-se é a primeira ficção de Kéfera Buchmann, que, sem abandonar o bom humor de sempre, fala sobre autoestima, empoderamento e a importância de compreender os próprios desejos para se tornar alguém feliz.
Resenha:

“Querido Dane-se” é a primeira ficção escrita por Kéfera Buchmann, a autora de “Muito mais do que 5inco Minutos” e “Tá Gravando. E agora?”.
Em seu primeiro romance, Kéfera nos apresenta Jussara, uma garota de vinte e poucos anos que sofre com uma terrível crise de identidade e de um medo descontrolado de não ter sua vida estruturada até os trinta anos de idade.

Sara, como gosta de ser chamada - já que acredita que seu nome remete a pessoas mais velhas -  é costureira em um atelier famoso. Mas, seu grande sonho é tirar do papel todos os modelos de roupas que desenhou ao longo dos anos, e se tornar um estilista reconhecida.
Mas, atualmente, Sara esta precisando lidar com uma situação bastante complicada: um pé na bunda.  Sim, seu namorado de muitos anos, com quem ela já fazia planos de casamento, para enfim, ter sua vida pessoal resolvida e não correr o risco de ficar para titia, simplesmente terminou com ela por mensagens de WhatsApp.
Definitivamente ela não vem lidando bem com situação. O termino somado a sua frustração profissional e o baque de estar solteira novamente aos 26 anos, tão próximo aos trintas – até parece -, faz com que Sara surte.

Mas então ela é indicada pelo ateliê onde trabalha como costureira para Gio Bresser, uma  socialite famosa no mundo todo.  Para Sara esse é sopro de vida que ela estava esperando, um motivo para sair do casulo de auto piedade que entrou quando levou o fora.
Só que como nem tudo na vida são flores, no primeiro dia de trabalho,  Sara da de cara com seu ex na casa de Gio, e descobre que foi trocada pela perfeita e famosíssima socialite.
"Cacete, daqui a pouco vou estar com trinta anos. Se eu chegar lá solteirona e chamando Jussara só vai faltar uma placa no pescoço escrito TIAZONA. Que ódio".
Então, o que eu posso falar sobre esse livro? Foi uma leitura frustrante, em diversos sentidos. Ao contrario dos livros anteriores de Kéfera – que eu já resenhei para vocês e deixei claro que gostei bastante – que são auto-biográficos, esse é uma ficção. Tudo começa com um romance fracassado e se torna uma busca da protagonista pelo seu “eu interior” ao longo das páginas.

Em tese, um bom enredo, como vocês podem perceber. Mas, eu acredito que Kéfera exagerou no quesito irreverencia e acrescentou temas polêmicos ao longo da trama de uma forma bastante leviana e pessimamente trabalhados.

Como todos sabem, Kéfera é uma influenciadora digital e seu público, em totalidade, é constituído de crianças e adolescentes.  Então, falar de sexo, drogas e baixa alto estima deveria ser feito de uma forma mais cuidadosa, ressaltando o certo e o errado de forma bem distinta.
E sim, tenho total consciência de que a educação dos jovens não deve ser terceirizada e que cabe aos pais e não as criadores de conteúdo formar o caráter de determinado individuo e filtrar o que é válido ou não como entretenimento. Mas, no mundo em que vivemos, onde receber informações – erradas  ou distorcidas – é tão simples e fácil, quem se propõe a criar conteúdos deste tipo  deveria ter um pouco mais de cuidado na forma como aborda determinados assuntos.

Sara é o mais belo exemplo a NÃO ser seguido. Ela é uma mulher de 26 anos que norteia a sua vida pelo desejo de se casar. Todos os homens que cruzam o seu caminho são maridos em potencial. As relações que ela desenvolve com vários homens diferentes ao longo da trama são baseadas nesse desejo de se enquadrar nos padrões pré estabelecidos pela sociedade. Sara repudia pessoas de mente bitolada, mas faz das “tripas coração” para se encaixar nos padrões,  seja no âmbito profissional ou amoroso.

Outro ponto que me incomodou bastante em Sara é a inveja desmedida. Sim, todos nos temos esse sentimento “feinho” dentro de nós em algum momento da vida, mas Sara dá voz a ele em diversos momentos da leitura, seja quando a amiga casa antes dela,  quando a chefe faz um sucesso descomunal  e tem uma vida boa, ou a outra amiga que tem um emprego melhor que o dela.  Ela é a típica pessoa desestruturada emocionalmente, que foca sempre no que falta e não no que está em suas mãos no momento. Não é lá um personagens muito inspirador, apesar de ela ter um desfecho bastante inusitado. Os fins não justificam os meios, como dizia a minha vovozinha!

Enfim, “Querido Dane-se “ tem uma trama com um objetivo claro, que é o auto conhecimento da protagonista. Tirando o fato de que Sara perde o rumo e deixa a desejar no quesito exemplo, o livro também é uma obra bastante simples e com um enredo raso e desconexo.
Sara nos passa essa ideia deturpada de certo e errado, mas também nos mostra que a vida segue seu rumo e que a tempestade não dura para sempre. Ela também nos mostra que quebrar paradigmas é uma forma de libertação, que assim que você se desprender dos padrões da sociedade e vive a sua vida, tudo muda. Mas também falta desenvolvimento  da personalidade da protagonista, que não condiz com a sua idade, o que torna determinadas passagens bastante risíveis.

Essa é uma leitura curtinha, com menos de 300 páginas e em grande parte da leitura o foco esta nos “mimimis” da protagonista, sofrendo por estar “ficando para tia”. Então, tenha em mente  que se você resolver se aventurar por essas páginas, deve ter paciência e ler de forma despretensiosa.

Já a editora está de parabéns. Assim como os livros anteriores de Kéfera – também publicados pela Paralela – o trabalho gráfico é um primor. A trama se desenvolve em forma de diário e cada capítulo e datado usando uma fonte estilizada. A diagramação é bastante elaborada e fashion, fazendo jus ao mundo do qual Sara pertence.

PS: Apesar de ser um livro escrito por Kéfera Buchmann, a queridinha dos jovens, eu não aconselho a leitura para o seu público alvo. Me julguem, essa é a minha opinião.
"Essa é a minha busca atual: ser boa para mim mesma. Me fazer bem. Chega de tentar ser tão incrível para os outros. Chegou a hora de ouvir o meu chamado interno. Ir em busca da minha felicidade sem depender de ninguém para isso. Será que é possível? Uns dizem que sim, outros morrem tentando. Só tem um jeito de descobrir. E é isso que eu vou fazer"
Sobre o autor:

Kéfera Buchmann, nasceu e cresceu em Curitiba, Paraná, no ano de 1993, onde concluiu seu ensino fundamental e médio.
Em 25 de julho de 2010, Kéfera lançou o seu primeiro vídeo monólogo em seu canal no YouTube (5inco Minutos), intitulado "Vuvuzela". Daí pra frente, vieram inúmeros vídeos semanais no canal, hoje em dia, cada qual com mais mais views. O canal "5inco Minutos" surgiu sem pretensões da atriz, mas logo tomou força.
Kéfera é a principal "Youtuber" feminina do Brasil. Seus dois primeiros livros juntos, já venderam mais de 650 mil exemplares.