Resenha: A Faca Sutil (Fronteiras do Universo #2) - Philip Pullman

30 janeiro 2018


Edição: 1
Editora: Suma de Letras Brasil
ISBN: 9788556510440
Ano: 2017
Páginas: 288
Tradutor: Eliana Sabino

Sinopse: Perdida em um mundo novo, Lyra Belacqua encontra Will Parry — um fugitivo que logo se torna um aliado mais que necessário. Pois este novo mundo é povoado por Espectros sugadores de alma, e no céu as feiticeiras disputam espaço com anjos. Will procura pelo pai, um explorador desaparecido há anos, e Lyra busca a origem do Pó. No entanto, o que os dois encontram é um segredo mortal e uma arma de poder absoluto, capaz de decidir o resultado na guerra que se forma ao redor deles. O que nenhum dos dois suspeita é do quanto suas vidas, seus objetivos e seus destinos estão conectados... até que precisam se separar. A faca sutil é a viciante sequência de A bússola de ouro, um clássico da fantasia considerado pela Entertainment Weekly “o melhor livro de todos os tempos”. A fantástica aventura de Lyra continua, levando o leitor a novos mundos, rumo a uma descoberta devastadora.




A faca Sutil é o segundo volume da trilogia “Fronteiras do Universo.”

A história começa com Will, um garoto de 12 anos, que tem que cuidar da mãe, que não está muito bem. Quando Will que homens estão perseguindo sua mãe por algum motivo; ele resolve a manter segura e procurar por seu pai, desparecido há muito tempo.

Will segue a busca por seu pai após deixar a mãe em segurança, mas ao passar por sua casa, ele mata sem intenção um dos homens que os perseguiam. Quando decide fugir por medo de ser pego, Will encontra um portal para um novo mundo, e ao chegar encontra Lyra, que também está perdida neste mundo, um mundo onde espectros sugam a alma de adultos.
“-Um dia você vai seguir os passos do seu pai e ser um grande homem também. Vai levar o manto dele.”
Mas ao contrário de Lyra, Will vem de um mundo onde não existem daemons. Lyra procura por seu pai, desde a abertura dos portais, no final do livro anterior (então não se esqueçam de ler o primeiro).
No mundo de Lyra a feiticeira Serafina Pekkala procura pistas sobre a menina que também está sendo procurada pela senhorita Coulter, e pelos clérigos que acreditam existir uma profecia a respeito dela.

Enquanto isso Lyra e Will se juntam para seguirem por seus interesses: Lyra procura descobrir mais sobre o pó, e Will procura por seu pai. E após encontrarem a faca sutil, os dois se tornam mais fortes para enfrentar grandes batalhas.
“Pela porta aberta uma andorinha-do –mar entrou voando, enlouquecida de terror, e ficou batendo as asas ao cair com força no chão. Ergueu-se com esforço e voou para o peito da feiticeira torturada, e ficou ali, acariciando-a, guinchando.”
Nas páginas de “A Faca Sutil” vamos encontrar mais uma vez grandes batalhas, personagens incríveis como, Anjos, espectros, feiticeiras, e outros mais.
É um livro que traz várias questões religiosas, já que temos uma batalha contra a autoridade, então mesmo torcendo por alguns personagens, tive que discordar de algumas coisas, tive opiniões contrarias várias vezes, o que me fez achar a história ainda mais interessante.

O que me chama a atenção é a força das crianças nas histórias, Lyra sempre muito esperta, e curiosa, e Will, um personagem cheio de coragem, uma criança tão madura para a pouca idade.
“Ele abriu meus olhos. E mostrou coisas que eu nunca tinha visto, crueldades e horrores cometido em nome da Autoridade, todos designados destruir as alegrias e as verdades da vida.”
Mas assim como no primeiro livro, a narrativa foi excelente, fazendo com que a leitura flua naturalmente, com descrições detalhadas em alguns momentos, mas que não me fizeram cansar da leitura. É um livro para ser lido rápido, com grandes reviravoltas e muita adrenalina.
Sem contar o final, que deixa o leitor desesperado por começar o próximo livro!









Sobre o Autor: 



Philip Pullman nasceu em Norwich, Inglaterra, no dia 19 de Outubro de 1946. Durante a infância viajou pelo mundo inteiro, pois o seu pai e o seu padrasto eram ambos membros da Real Força Aérea. Passou parte da sua infância na Austrália, onde descobriu as maravilhas das histórias em quadrinhos, e cresceu amando, em particular, o Super-Homem e o Batman. Philip Pullman é o autor de várias obras, cujo a mais famosa é a série Fronteiras do Universo.
Aos 11 anos, quando voltou para a Grã-Bretanha, passou a viver no Norte de Gales. Era uma época em que as crianças podiam passear em qualquer lugar, jogar nas ruas, brincar sobre as colinas, e ele tomou plena vantagem disso. A sua professora de inglês, Enid Jones, exerceu uma grande influência sobre Pullman, e ele ainda lhe envia cópias dos seus livros.
Depois de sair da escola, Pullman costumava ir à Faculdade de Exeter, Oxford, para ler. Fez alguns serviços temporários, e então voltou a Oxford para tornar-se um professor. Ensinou em várias escolas para crianças de doze anos, e então se mudou para a Faculdade de Westminster, em Oxford, para ser conferencista a tempo parcial. Ensinou cursos sobre Romance Vitoriano e Contos Populares, e também um curso examinando como palavras e imagens poderiam assentir juntas. Ele eventualmente largou o magistério para escrever em tempo integral.