Resenha: A Bússola de Ouro ( Trilogia Fronteiras do Universo #1) - Philip Pullman

28 janeiro 2018


Edição: 1
Editora: Suma de Letras Brasil
ISBN: 9788556510426
Ano: 2017
Páginas: 344
Tradutor: Eliana Sabino

Sinopse: Lyra Belacqua e seu daemon, Pantalaimon, vivem felizes e soltos entre os catedráticos da Faculdade Jordan, em Oxford. Até que rumores invadem a cidade – são boatos sobre os Papões, sequestradores de crianças que estão espalhando o medo pelo país. Quando seu melhor amigo, Roger, desaparece, Lyra entra em uma perigosa jornada para reencontrá-lo. O que ela não desconfia é que muitas outras forças influenciam seu destino e que sua aventura a levará às terras congeladas do Norte, onde feiticeiras e ursos de armadura se preparam para uma guerra. Embora tenha a ajuda do aletiômetro – um poderoso instrumento que responde a qualquer pergunta –, nada a prepara para os mistérios e a crueldade que encontra durante a viagem. E, mesmo que ainda não saiba, Lyra tem uma profecia a cumprir, e as consequências afetarão muitos mundos além do dela.

A bússola de ouro é o primeiro livro da trilogia “Fronteiras do Universo”.
Tudo começa com Lyra Belacqua, uma menina de 12 anos audaciosa que vive na Faculdade Jordan, em Oxford, criada pelos mestres da Faculdade.
Ao seu lado ela tem Pantalaimon, seu daemon, e seu companheiro. Daemons aparecem em forma de animais, fazem parte de cada pessoa como se fosse sua alma, ligada a essa pessoa. Os daemons adquirem formas de vários animais na infância. Na vida adulta passam a ter uma só aparência. A ligação entre um humano e seu Daemon, é algo extremamente importante.

Lyra sempre curiosa, ao entrar em uma sala, descobre que querem fazer mal a seu tio lorde Asriel, seu único parente vivo, que chegou na faculdade depois de uma grande descoberta.
“Alguma coisa no modo como ele disse isso fez Lyra imaginar “Pó” com letra maiúscula, como se não fosse uma poeira comum”
Se já não fosse o bastante, crianças começam a desaparecer, e Roger, melhor amigo de Lyra, desaparece também. Rumores sobre Papões e experiências com crianças surgem. É claro que Lyra, curiosa e destemida, tenta descobrir mais sobre tudo aquilo.

Com a chegada da senhorita Coutier, tudo muda, Lyra passa a morar com ela, já que os catedráticos acham melhor para a menina. Srtª. Coutier é uma mulher linda e encantadora, pelo menos na frente de todos. Ao ir embora Lyra leva com ela o aletiometro, um objeto que responde a qualquer pergunta. O problema é saber como.
“E agora Lyra estava a caminho de Londres; sentada junto à janela em um zepelim, com as pequenas e afiadas garras das patas traseiras de arminho de Pantalaimon enfiadas na sua coxa, enquanto as patas dianteiras do daemon se apoiavam na vidraça”.
A partir daí, uma aventura começa e só melhora a cada página. Amei a historia, eu já tinha assistido ao filme, (gostei do filme, mas depois do livro, nem se compara.) Não gosto muito de fantasia, então me surpreendi ao gostar já de inicio. “A bússola de Ouro” me encantou.
Lyra encanta qualquer pessoa por ser tão destemida, Iorek Byrnison, um panserbjørne (urso de armadura) que eu já amava e continua sendo um dos meus personagens preferidos, grande amigo de Lyra e muito corajoso.

Apesar de ser um livro infanto juvenil, recomendo que todos leiam independente da idade, o livro tem uma narrativa empolgante que faz com que o leitor queira descobrir o que se esconde em cada pagina.
Amei a nova edição da Suma, a capa encanta, com seu brilho e capricho, a fonte com um tamanho agradável a vista, a encadernação perfeita. Um livro que encanta desde a primeira olhada.
”Até onde a vista alcançava, até o próprio horizonte em todas as direções, tudo era um mar ondulado de brancura. Picos suaves e abismos vaporosos se erguiam ou se abriam aqui e ali, mas no todo aquilo parecia uma massa sólida de gelo”.









Avaliação: 



Sobre o autor: 


Philip Pullman nasceu em Norwich, Inglaterra, no dia 19 de Outubro de 1946. Durante a infância viajou pelo mundo inteiro, pois o seu pai e o seu padrasto eram ambos membros da Real Força Aérea. Passou parte da sua infância na Austrália, onde descobriu as maravilhas das histórias em quadrinhos, e cresceu amando, em particular, o Super-Homem e o Batman. Philip Pullman é o autor de várias obras, cujo a mais famosa é a série Fronteiras do Universo.
Aos 11 anos, quando voltou para a Grã-Bretanha, passou a viver no Norte de Gales. Era uma época em que as crianças podiam passear em qualquer lugar, jogar nas ruas, brincar sobre as colinas, e ele tomou plena vantagem disso. A sua professora de inglês, Enid Jones, exerceu uma grande influência sobre Pullman, e ele ainda lhe envia cópias dos seus livros.
Depois de sair da escola, Pullman costumava ir à Faculdade de Exeter, Oxford, para ler. Fez alguns serviços temporários, e então voltou a Oxford para tornar-se um professor. Ensinou em várias escolas para crianças de doze anos, e então se mudou para a Faculdade de Westminster, em Oxford, para ser conferencista a tempo parcial. Ensinou cursos sobre Romance Vitoriano e Contos Populares, e também um curso examinando como palavras e imagens poderiam assentir juntas. Ele eventualmente largou o magistério para escrever em tempo integral.