Resenha: O Casamento - Victor Bonini

27 dezembro 2017


Edição: 1
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9788595810044
Ano: 2017
Páginas: 368

Sinopse: Para os noivos é o dia mais importante de suas vidas. Meses atrás, os amigos diriam que o namoro de Plínio e Diana tinha prazo de validade. Eles se conheceram de um jeito bizarro, pensam completamente diferente e nenhuma das famílias aprova o relacionamento. Mas eles resistiram a tudo. E agora vão se casar. Para o detetive é a melhor chance de pegar um criminoso. O mais íntegro dos convidados esconde um segredo devastador. Mas alguém sabe e está disposto a espremê-lo com chantagens. É então que o detetive Conrado Bardelli se hospeda no hotel-fazenda onde ocorrerá o casamento. Ele precisa descobrir o lobo entre as ovelhas. E rápido. Pois, a cada nova ameaça, o chantagista eleva o tom e falta pouco para a bomba explodir. O casal está pronto para o sim. A noiva se prepara para caminhar pelo tapete vermelho. Até que alguém diz: não saia do carro! Enquanto a plateia espera ansiosa em frente ao altar, algo brutal acontece na antessala. Só quando veem as paredes lavadas com sangue é que os convidados se rendem ao desespero. Começa uma confusão para interromper a marcha nupcial e chamar a polícia. Ninguém sabe o que fazer. E Bardelli, que lidava com um caso de extorsão, descobre que se meteu em algo muito pior. Agora, ele é o único capaz de encontrar respostas. O problema é que as mortes não param de acontecer...

Eu estava muito ansiosa por este livro. Quando terminei Colega de Quarto (primeiro livro do autor resenhado aqui no blog) fiquei eufórica e ouso dizer que Victor Bonini é nosso Harlan Coben brasileiro. Conrado Bardelli se tornou meu Myron Bolitar e juro, todos os livros que Bonini escrever com esse personagem, eu vou fazer o possível para lê-los!
Como a sinopse diz, o que era para ser o dia mais feliz nas vidas de Plínio e Diana se torna um inferno sem previsão de fim. Bardelli foi convidado para a festa para descobrir quem é o chantagista que está entre os convidados, mas o que era para ser uma simples investigação acaba se tornando assassinatos, e caberá a Bardelli descobrir quem está causando isso.

Como no livro anterior, Bonini nos presenteia com um enredo bem escrito e estruturado, onde o leitor até consegue formular suas teorias, mas se abisma com as descobertas e fica com cara de tacho assim que termina o livro.
Neste volume encontramos mais personagens envolvidos na trama do que no livro anterior; personagens estes que são essenciais para o desenvolvimento do enredo e que passam a ser nossos companheiros enquanto tentamos, a todo custo, desvendar o mistério que ronda esse casamento. Mesmo com a quantidade alta de personagens, Bardelli é um personagem único! Ele se destaca por sua sagacidade, coragem e inteligência.
"Um cheiro que conseguia transmitir tanto vida quanto morte. Era o cheiro de rosas. Rosas que são dadas de presente em festas. Rosas que são jogadas sobre túmulos em funerais".
Esse é o tipo de livro que faz você desconfiar de todos os personagens, e eu adoro isso! Me sinto envolvida com a trama e com os personagens. Até das descrições dos crimes eu gostei! Bonini emprega sua genialidade em cada linha, em cada frase. O Casamento é um livro que não vai deixar você o largar enquanto não chegar ao fim; enquanto não descobrir tudo o que temos para descobrir.

A narrativa é em terceira pessoa e acompanha principalmente, Bardelli, mas também mostra o ponto de vista de outros personagens. A edição da Faro Editorial está um luxo: Essa capa é perfeita! Condiz com o enredo e trás o que o livro promete - SANGUE! 
A Diagramação é simples e bem feita, com bom espaçamento e letras em tamanho confortável que deixam a leitura mais fluída. A escrita do autor é detalhada e sucinta, com uma linguagem simples e direta. 
“(...) Quanto mais Lyra conhecia os convidados, mais se deparava com o lado podre daquela gente. Não era por se tratar de um casamento que as coisas tinham de parecer um sonho.”
Do mais, só posso indicar. Você não precisa ter lido o livro anterior (Colega de Quarto) para ler este ta? As histórias são diferentes e os dois livros possuem finais independentes. Mas se você tiver a oportunidade de adquirir e ler os dois, faça-o. Tenho certeza que você vai gostar e indicar, assim como eu adorei e indico!


Avaliação: 


Sobre o autor: 




Victor Bonini é natural de São Paulo. Aos seis anos, mudou-se com a família para Vinhedo, interior do estado, onde morou até os dezoito. Foi quando ingressou na faculdade de jornalismo e voltou à capital. Formado em 2014, apresentou como trabalho de conclusão de curso um livro sobre o caso Pesseghini, abordando vários aspectos do crime que chocou o país em 2013. Seu trabalho, elogiado pela banca de avaliadores, escrito em parceria com Mariana Janjácomo, não foi publicado por um pré-acordo com a família das vítimas. Passou por outras grandes redações, como a TV Globo de São Paulo, GloboNews e Revista VEJA. Atualmente é repórter de vídeo da TV Gazeta.