Resenha: Dear Heart, Eu Odeio Você! - J. Sterling

23 dezembro 2017


Edição: 1
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9788595810075
Ano: 2017
Páginas: 288

Sinopse: Jules era viciada em trabalho. Colocando sempre o amor em segundo plano, sua principal meta era construir uma carreira com sólida reputação. Cal Donovan era muito parecido. Ele havia traçado uma lista de objetivos para alcançar na vida, e nela só havia espaço para ascensão profissional. Mas um encontro ao acaso muda tudo. De repente, o amor não parece uma distração para atrapalhar seus planos. Como fazer um relacionamento dar certo quando a sua cara-metade mora a milhares de quilômetros de você? Como viver esse amor sem abandonar tudo o que construiu? Algumas vezes as nossas mentes elaboram planos, estabelecem metas, perseguem sonhos. E algumas vezes os nossos corações ignoram as nossas mentes e decidem apostar no amor.

Jules e Cal são muito parecidos. Ambos priorizam seus trabalhos e pensam a mesma coisa sobre relacionamentos. Quando os dois se encontram, rola uma amizade bem bacana e a partir daí, a coisa toma forma.
Como Jules está em uma conferência em outra cidade, os dois decidem viver o momento e pronto. Quando ela voltar para Malibu, levará lembranças maravilhosas de Cal e Cal também ficará com lembranças maravilhosas dela. Assim seria fácil neh? Mas o coração.... Haaa o coração.... Como você pode se despedir do amor da sua vida? Como deixar para trás a metade da sua laranja? Pois bem...
Nesse contexto, vamos acompanhar o relacionamento nada normal de Jules e Cal. O que era para ser uma diversão toma proporções sérias quando ambos decidem manter contato após a partida de Jules.

Jules é uma mulher incrível. Ela é inteligente e ama o que faz. Quando Cal aparece em sua vida, ela vê suas barreiras ruírem e deixa-se envolver pelo belo rapaz.
Cal segue o mesmo caminho: sempre priorizando seu trabalho, nunca se envolveu tanto com uma mulher quanto com a loira de olhos verdes que sempre diz o que pensa.
Clichê? SIM! Impossível o leitor começar a leitura e não pensar: "Espera aí, já li isso antes." Mas é isso que prende o leitor do começo ao fim. Jules é uma personagem forte e independente com uma personalidade bem distinta que inspira muitas mulheres a seguir seu caminho. A mesma coisa  acontece com Cal que, mesmo sendo focado apenas no futuro, consegue ser fofo de uma maneira apaixonante.
“Era muito lindo e muito gostoso se deixar levar pela paixão novamente quando as coisas iam bem . Mas quando as coisas iam mal ... meu Deus . Eu desejei ser uma pedra de gelo de tão fria e autossuficiente. Mesmo sendo mais sem graça ,a vida era tão mais fácil quando você não sentia nada por um cara.
Essa era a desvantagem: você podia fechar definitivamente o seu coração para qualquer outra pessoa ,mas perderia todas as coisas boas que uma pessoa tinha quando dava e recebia amor ... era preciso decidir se o risco realmente valia a pena. “
Eu sou avessa a esses romances clichês, mas me apaixonei por Jules e Cal e sofri com eles em todos os momentos necessários. Também gostei muito de como a autora criou o romance entre eles. Gosto de ver o crescimento do sentimento, a descoberta da paixão e foi exatamente isso que ela fez. Não pense que foi amor a primeira vista (graças a Deus), J. soube criar sentimentos e concretizá-los nos personagens.

Para um primeiro contato com a  escrita da autora, devo dizer que me senti conquistada. A narrativa em primeira pessoa acompanha Jules e Cal intercalando os capítulos, é leve e descontraída, o que deixa a leitura mais fluída. A autora foca em como é possível viver um relacionamento a distância, em como cada momento juntos e cada conversa é importante, coisa que hoje em dia é quase inexistente.
"Parecia que existiam dois tipos de pessoa no mundo. O primeiro tipo incluía as pessoas simplesmente aceitava tudo o que lhes acontecia sem discutir . Pessoas que quando viam alguém se mandar da vida delas apenas suspiravam, davam as costas e tocavam o barco. Pessoas capazes de se desapegar facilmente .O outro tipo,ao contrário, era de pessoas que lutavam para salvar um relacionamento,exigiam respostas quando o barco afundava.Quando percebiam que não queriam que seu relacionamento chegasse ao fim, essas pessoas se agarravam a ele desesperadamente,como se a própria vida dependesse daquilo.“
Claro que devo mencionar os personagens secundários que tornaram a trama mais intensa, gostosa e divertida! A autora soube dividir os créditos de uma história linda entre todos os personagens e acredito que tenha deixado brechas para próximos livros!
J. escreve sobre mulheres reais, que pode ser eu ou você. Mulheres que tem capacidade de mudar a própria vida e conseguirem o que querem.

Se indico? Claro! A Faro Editorial arrasa em suas publicações, sempre trazendo o melhor para seus leitores e Dear Heart, Eu Odeio Você! É um puta (desculpa :P) livro e merece ser lido por todas as mulheres românticas, apaixonadas, independentes, focadas e até por aquelas que não querem encontrar o príncipe encantado tão cedo. Aventurem-se por essas páginas e apaixonem-se também!


Avaliação: 



Sobre a autora: 







J. Sterling nasceu no sul da Califórnia e cresceu assistindo a jogos de beisebol do Los Angeles Dodgers e jogando softbol. Ela se formou em rádio, tevê e cinema, e trabalhou na indústria do entretenimento grande parte de sua vida. O jogo perfeito é o primeiro livro da trilogia The Game.