Resenhando Contos : Ela é uma Fera! - Marina Carvalho

24 maio 2017



Edição: 1
Editora: Novo Conceito
Selo: Novos Talentos
Autor: Marina Carvalho
ISBN: 9788581633305 - Ebook
Ano: 2013
Páginas: 155

Sinopse:
No interior de Minas Gerais, Clara, uma menina de traços delicados, rosto de porcelana e cabelos dourados tem muitos admiradores, inclusive Henrique, o menino mais popular da escola que fará de tudo pra poder sair com ela, inclusive trapacear...
É que o pai de Clara colocou na cabeça que sua filha mais nova só poderá sair com um menino depois que sua filha mais velha, Carolina, arrumar um namorado.
Parece simples: basta que Henrique arrume um “namorado” para Carol e siga com seu sonho de ficar com Clara.
Determinado, Henrique arruma o tal namorado para Carol: Pedro, o badboy.
Mas o que nem Henrique, nem Clara, nem Pedro imaginavam é que a intragável Carol iria se comportar como uma insuportável ao lado de Pedro — e jogar água em todos os planos de romance de Henrique e Clara.
Caberá a Pedro dar um bom resultado a esta situação, mas será que ele vai conseguir conquistar o coração de gelo de Carol e, finalmente, domar a megera?
Ela é uma fera! é uma releitura escrita pela autora Marina Carvalho do clássico A Megera Domada de William Shakespeare

Resenha:

Como todos bem sabem, eu sou uma fã assumida da autora Marina Carvalho. Tenho paixão pela forma como ela escreve e consegue transmitir sentimentos para o leitor, então, é claro, que não deixaria de conhecer todos os trabalhos dela, inclusive os contos.

“Ela é uma Fera!” é uma conto curtinho, que foi publicado pela editora Novo Conceito sob o selo Novos Talentos e apenas na versão Ebook.
A inspiração da autora foi o clássico de Shakespeare , A Megera Domada. Mas, para quem não curte clássicos, a historia é bem parecida com o filme “10 Coisas que eu odeio em Você” estrelado no cinema por Heath Ledger, que também foi inspirado na obra.

A historia gira em torno de Lucas, um estudando do ensino médio que vive nos Estados Unidos com a família, já que o trabalho do pai exige isso. Ele esta super contente com a sua situação, com uma vida estável e cheia de amigos e os preparativos para entrar em uma grande universidade. Mas então vem o choque: seu pai decide voltar para o Brasil. O garoto acredita que sua vida esta arruinada, já que agora vai morar na cidadezinha de São João Del-rei no interior mineiro, sem contar que vai precisar enfrentar uma nova escola.
Mas já no primeiro dia de aula no Brasil Lucas acaba encontrando incentivo para enfrentar a nova fase, e essa é a doce e popular Clara.
Mas, Clara não é uma garota comum, ela vem de uma família muito conservadora , onde o pai colocou uma regra de que Clara só pode sair com alguém depois que entrar na faculdade ou quando  a sua irmã mais velha também o fizer. E isso é péssimo para Clara, já que sua irmã não poderia ser mais diferente dela, uma pessoa nem um pouco carismática ou amigável.
Carolina é uma menina forte e independente, que não se preocupa com a opinião alheia e muito menos tenta agradar.
Então Lucas, para tentar chegar no coração de Clara, tem uma brilhante ideia: Contratar Pedro, um bayboy arrogante que estuda na mesma faculdade que a irmã de Clara, para conquista-la. Só que mal sabe ele que Carolina e Pedro já se encontraram antes e que o encontro não foi nem um pouco amigável.
"Soube que estava lascada não no momento em que sentiu o coração disparar, mas quando não conseguiu recuperar os batimentos normais."
É isso gente, a historia é bem naquela linha que já conhecemos nas duas obras anteriores. É claro que modernizadas, mas mesmo assim, a essência da obra continua a mesma.
A construção dos personagens foi feita de uma forma bem bacana. Apesar do conto ser bem curtinho, podemos perceber bem os detalhes e as peculiaridades de todos eles.
Um ponto que me incomodou bastante, e que eu fiquei um pouco abismada, pois não é característico da autora,  foi o machismo de alguns diálogos, insinuando que mulheres só se interessam por dinheiro e aparencias. Marina Carvalho cria mulheres empoderadas em suas obras, não sei de onde saiu essas nuances acrescidas nesse conto. Talvez seja por se tratar de uma releitura de uma obra que se passa em outro século... não sei... Enfim, é algo pequeno e que não estraga o brilhantismo da obra.
“Já notara que ele tinha a preferência das garotas do Santo Antônio. Também, com aquela aparência e a conta bancária do pai —características essenciais para as mulheres em geral —, estranho seria se as meninas não quisessem nada com ele.”
Já um ponto positivo é a forma como a autora dividiu os capítulos, todos eles em atos, exatamente como o padrão Shakeasper. É uma forma de quem quiser comparar o conto a obra original de se localizar na trama.
Bem gente, é um livro pequenininho que deve ser lido para dar aquela descontraída.