Resenha: Cujo - Stephen King

31 janeiro 2017


Edição: 1
Editora: Suma De Letras
ISBN: 9788556510259
Ano: 2016
Páginas: 376

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto… cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.




Confesso que quando li a sinopse achei meio sem graça. Terror sobre cachorro?!? Mas como o Stephen King consegue fazer a gente ficar com medo até de uma borboleta, comecei a lê-lo... Quando vi que o personagem principal era uma criança, fiquei bem apreensiva. Enredos com crianças me deixam apavorada.

O livro tem uma boa quantidade de personagens e eu só não me perdi, porquq o autor sabe trabalhar muito bem as características deles, são complexos e diferem entre si. É o que mais gosto nos livros dele. Não tem o bem e o mal tão definidos. Seus personagens possuem o bem e o mal, com um lado mais evidente. Isso fez a leitura muito mais interessante.
“O monstro naquela escuridão, agachado no mesmo lugar de antes, sorria para ele... Gosto de você, Tad. Acho que vou voltar todas as noites a partir de agora, e a cada noite vou chegar um pouquinho mais perto da sua cama, até que, qualquer noite dessas, antes que você consiga gritar, vai ouvir algo rosnando bem ao seu lado, Tad, e serei eu, e eu vou te atacar e depois vou comer você, que vau parar dentro de mim .”
O enredo é focado principalmente, na família Trenton e Camber.
Tad Trenton é um menino que tem medo do monstro do armário e seus pais fazem o possível para tirar esse pavor do filho. Sem saber que o monstro não é somente uma fantasia de criança.
Os Camber são uma família humilde com um pai violento, que possui como animal de estimação um São Bernardo que contrai raiva. Ninguém percebe os sinais da doença até ser tarde demais.

Vários acontecimentos entrelaçados vão nos conduzindo através desse suspense assustador, a cidade já havia sido palco de assassinatos violentos por um serial killer, agora está sobre ameaça de um cachorro enorme com muita raiva e força.
Como escapar desse "monstro"?
A gente prende a respiração nesse livro, e como é relativamente mais próximo da realidade se torna mais assustador. Agora tô prestando atenção aos animais que encontro por ai rsrsrsr.
“Para Tad. Monstros fiquem em longe desse quarto! Aqui não tem nada para vocês. Nada de monstros embaixo da cama de Tad! Vocês não cabem lá. Nada de monstros se escondendo no closet do Tad! Lá é muito apertado... Aqui não tem nada para vocês! Ninguém machuca o Tad, ninguém encosta no Tad essa noite. Aqui não tem nada para vocês .”
Não tenho o que reclamar, adoro os livros do autor e sua escrita é gostosa e tem aquele toque assustador que faz dele o mestre do terror que é.
A edição está primorosa! Capa dura com detalhe na pata do cachorro (parece que ele pisou na capa do livro, ficou até meio afundada sabe? *-*). A diagramação está perfeita, com letras em tamanho confortável para a leitura e bom espaçamento. Não encontrei nenhum erro de revisão.

Do mais, só tenho a indicar! Vocês precisam conhecer Cujo e claro, morrer de medo enquanto lêem! rsrsrsrs ;)









Avaliação: 


Sobre o autor: 



Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar.

De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).