Resenha: A Colônia - Ezekiel Boone

28 janeiro 2017


Edição: 1
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788556510174
Ano: 2016
Páginas: 272
Tradutor: Leonardo Alves


Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Nas profundezas de uma floresta no Peru, uma massa negra devora um turista americano. Em Mineápolis, nos Estados Unidos, um agente do FBI descobre algo terrível ao investigar a queda de um avião. Na Índia, estranhos padrões sísmicos assustam pesquisadores em um laboratório. Na China, o governo deixa uma bomba nuclear cair “acidentalmente” no próprio território. Enquanto todo tipo de incidente bizarro assola o planeta, um pacote misterioso chega em um laboratório em Washington... E algo está tentando escapar dele. O mundo está à beira de um desastre apocalíptico. Uma espécie ancestral, há muito adormecida, finalmente despertou. E a humanidade pode estar com os dias contados.


Quando solicitei este livro acho que eu não estava pensando direito... Afinal, odeio aranhas, tenho medo mortal mesmo sabe? Para vocês terem uma ideia, tenho medo até daquelas pequenininhas que aparecem em casa. Mas, sabem como é.. a gente gosta de se martirizar neh? rsrsrsrsrs
"- Não foram apenas as estacas - disse Julie. - Durante a escavação, ele achou algo embaixo das estacas: uma caixa de madeira. A madeira foi datada, e é da mesma época das estacas. Dez mil anos. Sabe o que havia dentro da caixa?
Julie fez uma pausa, e Melanie começou a ficar frustada. Achava que pausas dramáticas eram inúteis e, no caso de um bando de bolsistas, irritantes. Mas estava muito curiosa e não conseguiu se conter.
- O quê?
- Uma bolsa de ovos. A princípio, ninguém entendeu o que era aquilo, mas, quando ele se deu conta, sugeriu que o orientado acadêmico a mandasse para nosso laboratório para ver se conseguiríamos identificá-la. Eles achavam que estava fossilizada, ou petrificada, ou sei lá como se diz quando algo assim está preservado."
Partindo da premissa da sinopse acima, Ezekiel Boone cria um enredo aterrorizante e horripilante. Não vou me aprofundar em descrever um pouco sobre o enredo do livro pois temos muitos personagens de igual importância para a trama, e como o enredo não fica somente nos Estados Unidos, posso me prolongar mais que o necessário e, por ventura, soltar algum spoiler. Entretanto, devo acrescentar que, independente do número de páginas e de personagens, este foi um dos melhores livros que li na vida!
O autor começa o livro como quem não quer nada e de repente você está preso em uma trama de mistério, suspense, terror e horror. 
Uma espécie de aranha que é carnívora acaba de despertar. Mas o que nos deixa mais afoitos é que ela não é nativa de um só lugar, quando menos esperamos, elas aparecem em outros países e deixa para trás somente ossos de qualquer ser vivo que encontra pelo caminho. 
"Henderson espirrou. Viu um pouco de sangue esguichar na parede. Tinha catarro escorrendo do nariz. Parecia que algo estava se arrastando ali dentro e, quando esfregou o nariz, percebeu que havia algo deslizando para fora. Sentiu a pata cabeluda e dura e a puxou. Puta que pariu. Era uma aranha.
Ele tinha acabado de puxar uma aranha da porra do nariz."
O desespero durante a leitura é viciante! Você se apega aos personagens e torce para algum deles encontrar um meio de sobreviver. A narrativa em terceira pessoa é detalhista e minimalista, o que neste livro, não me incomodou, pois precisamos conhecer os pormenores para entender como essas aranhas funcionam. Outra coisa que eu gostei muito é a leveza com que o autor conduz o enredo. Este é o primeiro volume de uma trilogia e quando eu percebi, o livro tinha acabado, algumas de minhas respostas estavam respondidas e só restou a ansiedade para o próximo volume. 
É muito difícil eu me apegar a muitos personagens em algum livro. Confesso que livros assim, me cansam e sempre acabo me confundindo. Mas A Colônia me conquistou por completo. Não há personagens maçantes; todos, sem exceção, são bem construídos e diferem muito uns dos outros. 
A trama toda é bem estruturada e não deixa falhas, acredito que, somente o final, tenha sido um banho de água fria em mim. Li com tanto afinco que não percebi que o livro um estava no fim e isso me impactou demais.
"Só que, enquanto via a aranha se arrastar pelo chão, Mike percebeu que a pergunta que mais o incomodava era: por que, por todos os anjos do céu, a aranha estava avançando na direção dele? Pois, com certeza absoluta, ela estava se aproximando. Não estava tentando fugir nem se esconder, e também não estava ignorando Mike. Não estava fazendo nada do que Mike, por sua experiência limitada com monstrinhos rastejantes, achava que seria natural. Não, a aranha claramente estava avançando na direção dele."
Do mais, só tenho elogios! Me senti dentro de um filme, acompanhando os personagens e entrando em desespero com eles. A edição da Suma de Letras está linda demais: a capa é condizente com o enredo e tem uma textura emborrachada; Diagramação simples e bem feita deixaram minha leitura mais prazerosa e rápida. Não encontrei nenhum erro revisão.
Enfim, indico sim a obra para todos os amantes de um bom horror e terror. Só não indico para quem tem fobia com insetos e aranhas. Sério! Fiquem longe! É desesperador! rsrsrsrsr


Avaliação: 


Sobre o autor: 






Ezekiel Boone mora no norte do estado de Nova York, com a esposa, os filhos, e dois cachorros desobedientes. A colônia é seu livro de estreia.