Resenha: A Livraria dos Finais Felizes - Katarina Bivald

07 novembro 2016


Edição: 1
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788556510150
Ano: 2016
Páginas: 336

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Sara tem 28 anos e nunca saiu da Suécia — a não ser através dos (vários) livros que lê. Quando sua amiga Amy, uma senhora com quem troca livros pelo correio há anos, a convida para visitá-la na cidade de Broken Wheel, Iowa, Sara decide se aventurar. Mas ao chegar lá, descobre que Amy faleceu. Sara se vê desacompanhada na casa da amiga, em uma cidade muito pequena, e começa a pensar que talvez esse não seja o tipo de férias que havia planejado.Com o tempo, Sara descobre que não está sozinha. Nessa cidade isolada e antiga, estão todas as pessoas que ela conheceu através das cartas da amiga: o pobre George, a destemida Grace, a certinha Caroline e Tom, o amado sobrinho de Amy. Logo Sara percebe que Broken Wheel precisa desesperadamente de alguma aventura, um pouquinho de autoajuda e talvez uma pitada de romance. Resumindo: a cidade precisa de uma livraria.





A história de Sara começa através da troca de livros com uma senhora que mora em outro país; a cada livro, Amy escreve uma carta contando sobre ele e da sua cidade, criando assim uma amizade e despertando desejo em Sara de conhecer a cidade que tanto lia.

Após perder o emprego ela decide ir conhecer sua amiga e a cidade de Broken Wheel. Ao chegar, tem uma triste surpresa, sua querida amiga faleceu, ainda assim, Sara decidi ficar na cidade e conhecer as pessoas das quais Amy tanto falava.
“Sara lera Orgulho e Preconceito pela primeira vez aos 14 anos e, por um bom tempo, a obra quase arruinara todos os livros de Jane Austen. Na verdade, basicamente arruinara os outros livros em geral, sem falar nos homens reais.” 
A cidade se mostra fantástica, cheia de pessoas acolhedoras, e durante sua estada na casa de Amy ela descobre uma quantidade imensa de livros que ela possuía, assim ela tem a vontade de abrir uma livraria, tanto para preservar a memoria de Amy quanto para levar um pouco de aventura e alegria para a cidade.
E nesse projeto ela conta com o apoio dos amigos de Amy, que passam a serem seus amigos também.
A maior parte da história se passa dentro da livraria, recheada de referências a outros livros e personagens.

Gostei das citações de outros livros, filmes e autores, me fez reviver alguns livros que já li, e me despertou curiosidade sobre os que ainda não tive oportunidade.
Me apaixonei pelos personagens, uma diversidade incrível de personalidades e acima de tudo com respeito incondicional entre eles, uma sociedade ideal nesse aspecto, praticamente me vi morando nessa cidade, com seu charme e encanto, que me lembrou cidades do interior porém, com esse diferencial.
“Nada de romance – Dissera ela, ameaçadora. Por isso, Sara Havia escolhido O homem que não amava as mulheres só para garantir que não tinha nenhuma historia romântica como tema secundário.”
O livro deixa um pouco a desejar no final, senti falta de um final diferente, pois eu gosto de finais que eu não espero. Mas como o nome já diz, é a livraria dos finais felizes.
A capa é bonita, nos remete a imagem de uma típica leitora, a parte interna da capa é tão charmosa! Adorei a capa. Páginas amarelas e letras pequenas, que dificultou um pouco a leitura, possui orelhas e o divisor de capitulo simples. Boa diagramação. 











Avaliação: 


Sobre a autora: 





Katarina Bivald, nasceu em Estocolmo, na Suécia, e sempre trabalhou em livrarias. Este é seu primeiro livro, já publicado em mais de 25 países.