Resenha: O Impostor - Tarryn Fisher

29 agosto 2016

Edição: 1
Editora: Faro Editorial
Autor: Tarryn Fisher
ISBN: 978856240974-5
Serie: Trilogia Amor e Mentiras – Livro 3
Titulo original:  Thief
Ano: 2016
Páginas: 271
Tradutor: Fabio Alberti
Adicione ao "Skoob"

Sinopse:
Caleb Drake nunca esqueceu seu grande amor. Nem depois de se casar com Leah ou mesmo quando Olivia se casou com outro. Num momento em que a vida de todos parece entrar num turbilhão de mudanças, ele sente que precisa tomar uma decisão. Talvez a mais importante da sua vida. Caleb tem algumas certezas, mas, agora, há muito mais em jogo. Qualquer caminho que escolha trará graves consequências. Então ele descobre que, para seguir seus instintos, o preço pode ser insuportavelmente alto.

"O Impostor" é o terceiro e ultimo livro da trilogia Amor e Mentiras da autora Tarryn Fisher, precedido por "A Oportunista" e "A Perversa". Para conferir as resenhas já publicadas aqui no blog, é só clicar nos títulos.

Resenha:
“O amor é cruel, mas é bom. Ele nos mantém vivos.”
Pois então, cá estamos novamente para falar sobre a trilogia lacradora da autora Tarryn Fisher. Este é o ultimo volume, e como a capa já indica, nos trás a versão de outra ponta do triangulo amoroso. Dessa vez, Caleb Drake narra a historia.

Quando iniciamos a leitura de “O Impostor” vamos ter um retrocesso no tempo. O livro não inicia de onde “ A Perversa” terminou, ele retorna um ponto especifico antes da separação de Caleb e  Leah, mais precisamente no momento em que Caleb vê Olivia no telejornal defendendo o criminoso Dobson e logo em seguida avança para um ponto após a separação, alguns anos após, onde Caleb já esta em um outro relacionamento, e nos mostra o retorno de Olivia a sua vida, abalando o seu mundo com a noticia de que esta separada de Noah e sendo perseguida pelo maniaco que defendeu no passado e que fugiu do sanatório.
 A partir de então, vamos ter aquele mesmo jogo entre passado e presente na narrativa. Vamos conhecer a trama desde o inicio pelo ponto de vista de Caleb, incluindo a época da faculdade e o primeiro encontro e como a paixão entre eles nasceu e floresceu.

Eu, particularmente, achei esse livro bastante repetitivo. Alguns capítulos são exatamente iguais a alguns já apresentados, o que torna a leitura um tanto quanto enfadonha nestes momentos. Já outros, são extremamente bem elaborados, nos trazendo uma versão totalmente nova de alguns fatos que marcaram os livros anteriores e o relacionamento  “Oleb” ( Olivia + Caleb = Oleb!! eu inventei um nome de shipp para eles, ueh!kkkk)
“- Mais do que me ama?

O brilho desaparece dos olhos dela, que tenta desviar o olhar. Eu a sacudo e repito a pergunta:
- Mais do que me ama?
- Não existe nada nesse mundo que eu ame mais do que você.”
Olivia foi um personagem que eu não consegui engolir desde o primeiro livro, o qual ela é protagonista.  Apesar de ela ser um personagem que trás uma bagagem emocional bastante grande, as incertezas dela são algo que incomoda. Ela ama e odeia em proporções iguais e não se acha digna de nenhum tipo de afeto, isso ficou bastante claro, principalmente agora, quando vemos o relacionamento deles pelo ponto de  vista de Caleb. Ela é auto-destrutiva e desaponta o leitor com algumas de suas atitudes infantis e precipitadas. Não houve uma evolução emocional para ela, não até quase o final do livro. Em grande parte da trama ela se mostrou aquela mesma garotinha arrisca que Caleb conheceu em baixo da arvore no campus.

Já Caleb, se mostrou o impostou que o título promete. Ao longo da leitura vamos descobrir que ele se tornou um estrategista, um manipulador tão impiedoso quando Olivia e Leah.
As mentiras e artimanhas usadas por ele em nome do seu “amor” por Olivia são bizarras. Vamos descobrir aqui que existe muito mais de Caleb Drake, muito mais do que foi mostrado no outro livro, e que talvez ele não seja o mocinho, e sim o lobo na pele de cordeiro.

Já Leah, meu personagem favorito, pouco aparece. Fiquei sentida de não ter mas dela, acho que fiquei mal acostumada após “A Perversa”.

Esse foi um livro que deixou aquele gostinho ambíguo. Eu não amei,  mas também não odiei. Fiquei meio que no “limbo”.
Na verdade, o único motivo que me fez desgostar da leitura é o envolvimento entro os protagonistas. Corro o risco de ser execrada, mas Olivia e Caleb não tem química. O relacionamento deles é doentio e desfuncional. É uma obsessão descabida que não fez muito sentido. Quando o leitor pensa :“aleluia, eles vão se acertar”, um rejeita o outro e passam anos sem se falar.
É obvio que Caleb não é um santo, e como já sabemos, ele escolheu Leah ao invés de Olivia, e desde então Olivia o envolve em um joguinho de gato e rato doentio. Quando Caleb começa a estabilizar sua vida, conhecer outra pessoal, se envolver em um outro relacionamento, Olivia ressurge das cinzar para atazanar a frágil paz que ele arduamente conseguiu.

Enfim, não foi o final que eu esperava, os rumos seguidos foram um tanto descabidos e irreais. Depois de toda a genialidade de Tarryn Fisher durante os dois primeiros livros eu estava esperando um final épico, tinha até comprado alguns lencinhos esperando a choradeira, pois eu imaginava que seria cruelmente real.  Foi um final triste? Ao meu ver, não muito. Dos males o menor, como dizia a minha vó. Acho que foi até romantizado demais. Acontecimentos anteriores ao desfecho foram extremamente mais intensos.Mas também devo admitir que foi bem estruturado e coerente.

Tarryn Fisher tem o dom da escrita e envolve o leitor do inicio ao fim, isso é inegável. Eu não concordei com o rumo que a trama seguiu, acredito que este é o livro mais fraco da trilogia, o que é bem comum em serie/trilogia, sempre tem aquele que “desanda”, mas em hipótese alguma tira o mérito de que é uma historia memorável e cheia de reviravoltas. Eu com certeza recomendo a leitura.

O livro físico também é uma obra maravilhosa. A capa segue os padrões das anteriores, mas o modelo não tem as características do Caleb. O que mais chama atenção é a cor dos olhos. Leah frisa diversas vezes que a cor dos olhos de Caleb lembra xarope de bordo, ou seja, cor de mel, um castanho claro, já o modelo tem olhos extremamente azuis. Já a diagramação é muito bonita, com divisões de capítulos elaboradas e uma revisão impecável. O miolo do livro possui paginas amareladas e grossas, com uma fonte de tamanho agradável.
"Eu cheguei a conclusão de que não temos um livro de regras na vida. Você faz o que precisa para sobreviver. Se isso significa fugir do amor da sua vida para preservar sua sanidade, você faz. Se isso significa quebrar uns corações que não deveria, faça isso. A vida é complicada - demais para termos tantas certezas. Nós somos todos tão quebrados. Escolha uma pessoa, a sacuda e você vai ouvir o barulho de suas peças quebradas. Pedaços de nossos pais, ou nossas mães, ou nossos amigos, estranhos, ou nossos amores."
Sobre o autor:


Tarryn Fisher é autora best seller do The New York Times. Cofundadora do blog de moda e coautora de uma serie com Colleen Hoover. Tarryn vive em Seattle com sua família. Ela adora dias chuvosos, coca-cola, cafe e uma boa dose de sarcasmo. E acredita que o instagram é o novo facebook.
Tarryn imagina que nasceu uma escritor. Ela dor
me pouco, lê muito e tem um mau vício em Starbucks.
"Eu sou uma vilã na vida real, de verdade. Eu bebo quantidades doentias da Starbucks. Na maioria das vezes o meu cabelo cheira a café. Eu nasci na África do Sul , e vivi lá durante a maior parte da minha infância . Eu me mudei para Seattle apenas por causa da chuva. Roma é o meu lugar favorito no mundo até agora, Paris vem em segundo. Eu leio e escrevo mais do que dormo. Quando tinha onze anos, eu escrevi uma novela inteira sobre órfãos fugitivos , usando apenas tinta roxa . Sou viciada em Florence and the Machine e eu viajo para ver shows. Eu amo filmes de terror e girafas . Eu passo muito tempo no Facebook. Nos encontramos lá ? "