Resenha: O Mensageiro (Série O Doador de Memórias #3) - Lois Lowry

28 julho 2016


Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580415674
Ano: 2016
Páginas: 160
Tradutor: Fabiano Morais

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Há seis anos, Matty chegou ao pacato Vilarejo. Sob os cuidados de Vidente, um cego que tem uma visão especial, ele amadureceu e se adaptou à nova vida. Agora, espera receber seu nome verdadeiro, que determinará seu valor ali, como ocorre com todos os habitantes.
Contudo, algo nefasto está se infiltrando no Vilarejo, e os moradores, antes orgulhosos de receber forasteiros, passam a exigir que as fronteiras sejam fechadas para se protegerem.
Por ser um hábil mensageiro, Matty é encarregado de avisar os outros povoados sobre o bloqueio. Sua missão também tem outro grande objetivo: buscar Kira, a filha de Vidente, antes que seja tarde demais.
Ele é o único capaz de viajar pela Floresta, que já provocou algumas mortes. O problema é que ela também está se tornando um lugar perigoso para o garoto. Mas muitos dependem de Matty. Então, armado apenas de um poder recém-descoberto, ainda incompreensível e incontrolável, ele se arriscará a fazer o que talvez seja sua última viagem.




Resenhas já publicadas no blog:

Essa resenha não possui spoiler dos livros anteriores


O Mensageiro é o terceiro livro da série O Doador de Memórias. Quando li o primeiro livro, fiquei encantada com o enredo, os personagens e a forma como a autora criou um enredo futurista que parecia perfeito a primeira vista, mas depois acabou se tornando um lugar medonho e cheio de mentiras e segredos.
Em A Escolhida, os personagens do primeiro livro desapareceram. Fiquei meio perdida no começo, pois fiquei procurando Jonas em todos os capítulos. No segundo volume, conhecemos Kira, uma garota que mora em uma vila onde não aceitam pessoas com nenhum tipo de deficiência. Kira só sobreviveu, porque sua mãe se comprometeu a cuidar dela para que ela não oferecesse problemas para outros moradores. Neste volume, vemos que a vila onde Kira mora não é nenhum lugar bom. Os adultos maltratam as crianças e desprezam os doentes.
Enfim, chegamos em O Mensageiro e para minha completa alegria, reencontro os personagens dos livros anteriores e tenho a oportunidade de conhecer mais a fundo Matty, o garoto que conseguiu ir embora com a ajuda de Kira para o Vilarejo. Lá, ele cresceu, aprendeu a ser melhor e estudou. Vidente tomou para si a obrigação de cuidar dele como se fosse seu filho e Matty está a um passo de receber seu nome verdadeiro. Vidente perdeu os olhos e é cego, mas consegue ver muitas coisas... é parte de seu dom e tanto ele quanto Matty, presentem o perigo que ronda o Vilarejo.
Por ser o único a andar pela floresta, Matty quer ser chamado de Mensageiro, pois é isso o que ele faz: ele leva mensagens para todas as vilas vizinhas. A floresta sempre proveu seu alimento e segurança para suas viagens, mas algo está acontecendo com a floresta e os habitantes do Vilarejo: as pessoas não são mais receptivas aos forasteiros que chegam cansados e maltratados e a floresta está mais escura e matando pessoas que ousam entrar nela.
"Não havia segredos no Vilarejo. Era uma das regras propostas por Líder, e a votação a favor dela fora unânime. Todos os que chegaram ao Vilarejo de alguma outra parte, todos os que não tinham nascido ali, vinham de lugares repletos de segredos. De vez em quando - mas não com muita frequência, pois sempre era causa de tristeza -, essas pessoas descreviam suas comunidades de origem: com governos cruéis, punições severas, miséria total ou falsos confortos."
Munido de apenas alguns alimentos e seu novo amigo, Matty parte em busca de Kira, a filha d e Vidente. Sua missão e trazê-la antes que seja tarde demais. Mas Matty, mesmo com todo o conhecimento que acumulou sobre a floresta, sabe que algo de ruim está acontecendo. As trilhas não são mais as mesmas e os cipós se esgueiram a procura de algo a que se enroscar. Será que Matty sobreviverá a essa intensa jornada?
O que mais gosto nessa série é a constatação óbvia de "sociedade feliz, só que não!". Cada livro trás um enredo diferente, com personagens diferentes, mas mantém aquela premissa de algo real e instável. Em O Mensageiro entretanto, não temos uma política que rege e demanda ordens. Os habitantes vivem felizes e em harmonia, até que um mal começa a se espalhar mudando a forma dos mesmos de agir. Poucos conseguem ver o que está acontecendo e Matty é um deles.
"O garoto cutucou o salmão com o garfo. Podia ver que o assunto estava encerrado. Vidente nunca negociara nada, nem uma só vez, e tinha orgulho disso. Mas Matty achava que um dia o faria. Talvez não por uma Máquina de Jogos. Mas havia outras coisas que queria. Devia poder saber como aquilo funcionava."
Matty é um personagem curioso e esperto. Suas conversas com Vidente são sempre engraçadas e sérias ao mesmo tempo. Matty é uma criança e pensa como tal, mas em alguns momentos, consegui visualizar o homem que ele pode se tornar. Outros personagens também trazem uma carga maior para o enredo, como Vidente, Kira e Líder.
A narrativa é em terceira pessoa, inicialmente, acompanhando Matty, em alguns pontos, mostrando o ponto de vista de Vidente e Líder. A escrita da autora é gostosa e coesa, o que faz a leitura fluir e sem perceber, chegamos ao fim e queremos mais.
Enfim saberemos o que aconteceu com Jonas depois que o mesmo chegou em seu trenó vermelho ao Vilarejo. Veremos o homem que ele se tornou e saberemos como chegou ao posto que tem.
A diagramação é simples, mas bem feita. Possui folhas grossas, o que dá a impressão do livro ser maior do que realmente é. A capa é linda e condiz com o enredo apresentado, folhas amarelas e letras em tamanho confortável para a leitura finaliza este volume que possui uma história incrível e com um final típico da autora.
"Mas havia algo de diferente naquela viagem. Pela primeira vez, Matty sentiu uma hostilidade por parte da floresta. Os peixes demoravam a vir para o seu anzol. Um dos esquilos, que geralmente eram dóceis, chilreou com irritação e mordeu seu dedo quando Matty lhe estendeu a mão. Os frutinhos vermelhos ele sempre comia estavam cheios de pontinhos pretos e amargos. Pela primeira vez, notou heras venenosas crescendo ao longo de vários trechos do caminho, onde nunca haviam aparecido."
Do mais, indico sim a obra para todos que gostam de uma boa história. Todos os livros da série são pequenos e consegui lê-los em poucas horas. Mesmo com as poucas páginas, tenho certeza que a história ficará gravada em nossas mentes e so me resta esperar o último volume dessa série que promete revelações marcantes e cheias de significados!


Avaliação:


Sobre a autora:





Com mais de 30 livros publicados, a americana Lois Lowry já recebeu diversos prêmios por sua obra, como o Boston Globe-Horn Book, o Dorothy Canfield Fisher, o Mark Twain e a Medalha John Newbery, concedida pela Association for Libray Service to Children, pelos livros Numbers the Stars e O Doador.