Resenha: Caminho das Sombras (Anjo da Noite #1) - Brent Weeks

16 junho 2016

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580415100
Ano: 2016
Páginas: 432
Tradutor: Fernanda Abreu

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Para Durzo Blint, matar é uma arte... e ele é o artista mais talentoso da cidade. Temido por muitos, Durzo é uma lenda viva com as mãos manchadas de sangue e nenhuma culpa pelas vítimas que deixa pelo caminho.
Esse mundo sombrio também não é novidade para o jovem Azoth. Sobrevivendo entre becos sujos, ele aprendeu que a esperança é uma piada. Pelas regras das guildas, crianças são agredidas e surradas todos os dias.
Tentar contestar essa realidade seria um risco alto demais. Mas quando a morte se torna questão de tempo para ele e seus amigos, Azoth se vê forçado a vencer o medo e agarrar a chance de virar um derramador, um assassino. Ele precisa se tornar discípulo de Durzo Blint.
Para ser aceito, o garoto abandona sua antiga vida e abraça uma nova identidade. Ao se tornar Kylar Stern, ele aprenderá a transitar no mundo dos nobres, sobreviver às magias de seus inimigos e cultivar uma amizade muito especial: a da escuridão.




Quando solicitei este livro para a editora, confesso que a capa e sinopse me deixaram intrigada, sem saber o que pensar sobre a obra.
Comecei minha leitura despretensiosamente, esperando que o livro me pegasse de jeito. Qual foi minha surpresa quando não consegui desgrudar das páginas e a cada virada de folha, meu coração batia mais acelerado, clamando por mais!
"Nas Tocas, a crueldade andava de mãos dadas com a pobreza e a raiva."
Caminho das Sombras é o primeiro livro do autor, este é o primeiro volume da série Anjo da Noite e nele, vamos conhecer Durzo Blint que, como a sinopse diz, é um assassino, mas não qualquer assassino, Blint é o melhor de todos.
Blint não sente culpa pelos assassinatos que cometeu e ainda comete: ele tem um lema de vida um tanto duvidoso. Mas não deixa de ser uma boa pessoa por isso.
A vida não é justa com ele e o mesmo acontece com Azoth, um garoto órfão que vive nas ruas, apanhando e fazendo o possível para sobreviver.


Azoth é um garoto inteligente, que tem um enorme coração. Vive no limite da existência e quer a todo custo parar de ter medo: não quer sentir medo de Rato, o chefe da guilda onde ele "mora", não quer temer ninguém, e para isso acontecer, Azoth tentará a todo custo, ser aceito como aprendiz por Durzo. O que não será fácil, já que seu primeiro teste é matar quem lhe põe mais medo.
"No início eram só palavrões e surras. Azoth não conseguia fazer nada direito. Mas palavrões eram apenas ar, e surras apenas dores passageiras. Blint jamais o deixaria aleijado. Caso decidisse matá-lo, entretanto, não haveria nada que o menino pudesse fazer para impedir."
Apesar de ser uma fantasia, com magia, bruxos e magos, Caminho das Sombras também trás uma realidade abrasadora: a situação política cheia de traições e mentiras, um governo que só pensa em si mesmo, pessoas que fazem de tudo para conseguir seu sustento e uma parte da vida das crianças que moram nas ruas. Azoth cresceu pelos becos escuros, sempre desejou uma realidade diferente, mas nunca conseguiu conquistá-la. Depois que passa a ser aprendiz de Durzo, ficamos fascinados junto com ele com todas as coisas que ele descobre e aprende. É uma parte significativa da história, que abre nossos olhos e nos deixam com vontade de saber se toda a inocência desse garoto, continuará assim, depois que ele se tornar um derramador.


A cronologia do enredo é rápida. Durante poucas páginas, vemos Azoth se desenvolver e se adaptar à nobreza de que agora faz parte. Chamado agora de Kylar Stern, Azoth largou tudo e todos que conhecia para entrar para um mundo novo. Blint ameaça matá-lo de todas as formas, mas Kylar é forte e aprende rápido. A única pessoa que não consegue deixar de ver é Menina-Boneca, uma antiga amiga que ganha pouco a pouco, espaço no coração sombrio do nosso anti-herói.
"Kylar agora era um derramador no sentido pleno da palavra. Perguntou-se o que Blint diria se o visse. Havia alcançado seu sonho da vida inteira e não poderia estar mais infeliz."
Durante toda minha leitura, me peguei imaginando todos os finais possíveis para este livro, mas confesso que mesmo com minhas ideias mirabolantes, o enredo conseguiu me surpreender e me deixar animada para ler os demais livros. A escrita do autor é gostosa, descritiva e cheia de ação. Adoro livros assim, com sangue parecendo espirrar das páginas! Adorei a forma como o autor descreveu as lutas e as mortes!
O que me incomodou um pouco foi a falta de explicação sobre a realidade em que os personagens vivem. Me senti lendo um fantasia urbana com traços medievais. Cenária, que é o reino onde a história se passa é pouco descrita e isso só me deixou mais curiosa.


A narrativa é em terceira pessoa e acompanha todos os personagens essenciais para a trama se desenvolver. A capa é linda e condiz com o enredo apresentado, nos deixando com a sensação de que podemos ver Kylar e Blint se esgueirando pelas sombras. Também gostei muito dos personagens secundários que trouxeram uma grande carga emocional e atrativa para o enredo, devo mencionar aqui uma das personagens que mais gostei: Mama K.
"Quem era Kylar para matar um lenda?"
Do mais, só tenho a indicar a obra, gostei muito de conhecer essa história e estou bem curiosa para os próximos volumes; muitas pontas ficaram soltas e perguntas sem serem respondidas. A edição está maravilhosa como é típico da editora, sem erros aparentes e letras em tamanho confortável para a leitura.


Avaliação:


Sobre o autor:






Nascido e criado em Montana, Brent Weeks escrevia suas ideias em guardanapos de bar e no seu caderno de professor. Muitos anos e milhares de páginas depois, embarcou na carreira de seus sonhos. Caminho das sombras é a sua estreia literária. Atualmente mora no Oregon com a esposa, Kristi, e a filha.