Resenha: O Aroma da Sedução - Jéssica Anitelli

08 março 2016

Edição: 1
Editora: Madras Hot
ISBN: 9788537009543
Autor: Jéssica Anitelli
Ano: 2015
Páginas: 334

Sinopse:
Mariana é uma mulher linda e extrovertida, e apesar de fazer sucesso entre os homens, está longe de querer um compromisso sério. Uma má experiência no passado fechou o seu coração para relacionamentos, então faz de cada encontro que tem uma noite perfeita que não se repetirá. Esse esquema funciona bem, e ela se sente confortável assim. Pelo menos, era o que achava até que um admirador secreto entra em sua vida.
Ele enxerga Mariana melhor que todos. Não vê só sua pele, sua beleza, sua sensualidade devoradora e dominante, vê, além de tudo e, sobretudo, uma mulher que precisa ser lapidada para o amor!
Quanto um buquê de flores pode instigar uma mulher? E vários deles, podem enlouquecer? E se não estivermos falando só de flores, mas de um processo excitante e torturante de descoberta de sentimentos?
Resenha:

Então gente, cá estou para mais uma resenha de livro erótico!! E devo confessar que quase fundi meu cérebro pensando em como e o que escrever para vocês nesta resenha, tanto que finalizei a leitura em janeiro, e até agora faltava coragem para parar, sentar e colocar as ideias em ordem, por dois grandes motivos. O primeiro, é fato de que se trata de um autor nacional, e o blog apoia bastante essa causa. E segundo, pelo fato de que a trama me deixou com um sentimento ambíguo, aquela sensação de amor e ódio, onde você não sabe se abraça o livro ou joga ele na parede! Acho que vocês me entendem, não? Quem nunca passou por isso?

Em "O Aroma da Sedução" vamos conhecer Mariana, uma mulher determinada e segura de sí, estudante de enfermagem e o pecado em forma de mulher. E ela sabe exatamente o quanto é sexy e usa isso em suas conquistas, que não são poucas,afinal ela sai apenas uma vez com cada homem, nunca repetindo o parceiro em hipótese alguma.Essa é a sua regra de ouro: Conheça, seduza, transe e vá embora. Mariana deixa bem claro desde o inicio que gosta de sexo e de diversão, principalmente quando as duas coisas vem no mesmo pacote. Mas ela vai se contradizer, infelizmente.
O motivo de evitar este contato maior com suas conquistas não está ligado apenas em seu estilo de vida desapegado e sem neuras. Na verdade, o que Mariana quer evitar a todo custo é se apaixonar novamente. Criar um vinculo afetivo com alguém do sexo oposto trás lembranças sombrias do passado.Que é claro, como não poderia deixar de ser, esconde um segredo que guarda a sete chaves e que nem mesmo sua melhor amiga conhece.No entanto, ela é atormentada quase todos as noites com pesadelos e com a duvida sobre se realmente tomou a atitude correta.

Mas Mari tentou fugir deste passado e mudou-se para outra cidade para cursar a faculdade, por isso agora ela divide apartamento com Raquel, sua melhor amiga e colega de curso,e convive com  Cauã e Bernardo, seu primo por parte de pai. E também com Leo, um oriental meio nerd que divide apartamento com Bernardo, e é extremamente bonito.Condição que desperta extremo interesse em Mariana e que triplica quando ele resiste ao seu charme.

Mas, diga-se de passagem, todos eles fazem a maior torcida para que Mariana se apaixone, as vezes até tentando servir de cupido.
Mas,certo dia , Mariana descobre em suas coisas uma única pétala e rosa com a frase “Give me love” escrita. E apartir de então, as pétalas se transformam em buques de flores acompanhados de cartas e logo Mari se vê envolvida por este admirador secreto. 
"- Estou defendendo você, minha amiga. Por mais que eu super apoie esse seu modo desapegado, que não tem medo de falar "eu sou mulher e gosto de sexo sim!", acho que você merece um amor de verdade. Você teve um péssimo começo de relacionamento com aquele seu ex e tenho certeza de que é por isso que você tem medo de se envolver novamente..."
Pois é, lendo assim, parece uma trama e tanto né? É o mesmo sentimento que tive ao ler a sinopse e optar por ler a obra. E é um livro bem escrito, mas, ao meu ver, a autora pecou na falta de originalidade na construção dos personagens e em alguns pontos da trama.
Primeiro de tudo,  eu acredito que nós leitores já enjoamos dessa historia de personagens traumatizados e usando sexo como válvula de escape.  Existe pessoas que gostam de sexo e isso é completamente normal. Por favor autores, entendam isso, sexo é só mais uma das necessidades do corpo humano.Simples.
E como eu falei, existe a construção das características dos personagens. A melhor amiga patricinha, o asiático nerd e que luta kung fu, o melhor amigo gay ... e tem a protagonista, a Mariana, que foi um caso aparte e também um problema. Para ela a autora criou essa personalidade irreverente, de alguém descolada e sem neuras, o que na verdade é uma mascara que esconde uma romântica incurável. E vamos entender melhor os motivos dela ao longo da trama. Mas, isso não é o problema, o fato que me incomodou foi a forma como a autora introduziu o feminismo e a igualdade de sexo, fazendo de Mariana a prova de como as mulheres podem tanto quanto os homens. Mas isso somente no sexo. Ela transa com todos e qualquer homem que lhe interesse, do jeito que der, onde der, as vezes até mais de um por dia, e sem se importar se é comprometido ou não. Mariana é o estereotipado e saturado cafajeste e não demonstra nada sobre igualdade propriamente dita.
Vocês conseguem entender o meu ponto? Não estou sendo puritana ou hipócrita ao ponto de achar que isso não é uma realidade para muitos, mas o fato é que torna a personagem contraditória e repetitiva. Sem contar que distorce a ideia de igualdade de gênero, já que Mariana não luta por nada mais alem do direito de ter sexo onde e quando quiser. Isso é só uma parte da luta feminina, somos mais e queremos mais, e já que a autora levantou essa bandeira, deveria ter trazido mais, na minha opinião.
"O porteiro abriu o portão para mim e, ao passar pela guarita, ele comentou:
- O seu namorado sabe que você anda recebendo flores e beijando outros caras por aí?
Encarei-o indignada. Quem ele pensa que é para falar assim comigo e ainda por cima da minha vida?
- Se você está falando do Leonardo, não, ele não é meu namorado. E desde quando a minha vida interessa a você?
- Não interessa, mas sempre vejo a quantidade de homens com quem você sai e que frequentam o seu apartamento. Isso não é comum - deu de ombros.
Mas se fosse um homem no meu lugar isso seria comum, não é? Seu machista. O que não é comum é você se meter na vida de um morador - cheguei mais perto. O próximo comentário enxerido que vier de você, serei obrigada a ter uma conversa com o síndico, tá?"
E também tem as varias cenas de sexo, e que apesar de serem muito bem  escritas, se tornam cansativas e repetitivas. Não quero exagerar, mas acredito que em quase todos os capítulos Mariana faz sexo e as cenas são extensas em excesso, principalmente com um determinado personagem (que eu não posso dizer quem é, é spoiler, sorry!),em alguns casos a descrição do ato dura quase um capitulo inteiro e isso sem falar que quando ela se encontra este personagem, é sexo na certa, sem mais. Então, o que me incomodou aqui é que da metade para o fim a trama se perde e se torna somente sexo, sexo, sexo e uma pitadinha de drama. E livro erótico não é sinônimo de SÓ sexo, ou pelo menos não deveria ser, mas infelizmente a trama acaba se tornando um pouco rasa quando o autor se foca apenas no sexo e esquece do desenvolvimento do restante, e isso aconteceu aqui.

Mas, em contra ponto, a autora soube abordar com maestria alguns outros assuntos bastante polêmicos e delicados, tratando de forma simples, mas sem diminuir a real importância do tema.

Outro ponto bastante positivo é que Jéssica Anitelli tem uma escrita bem simples, e que flui fácil.( principalmente do inicio até a metade do livro). A linguagem usada pela autora é bem atual e jovial . A narrativa é feita em primeira pessoa,  e focada apenas em Mariana e os capítulos são relativamente curtos. Já a capa é uma obra de arte. Eu nunca vi um modelo tãoooo semelhante ao descrito no livro. Ali é a Mariana, fim! E a rosa vermelha vai ser importante no enredo!! #fikdik

Olha, apesar das ressalvas, esse é um ótimo  livro do gênero e um dos melhores nacionais que já li. O meu único problema foi que não consegui me identificar com os personagem, e consequentemente não me envolver com eles, principalmente com Mariana, que em alguns momentos se tornou forçada e nem um pouco humanizada.

Enfim, o que eu posso dizer é que se você leitor curte o gênero erótico, deve se aventurar nas paginas de O Aroma da sedução e tirar as suas próprias conclusões. Se você não curte, fuja!  E se você vai ler  seu primeiro erótico, nem pense em começar por ele.
"- Você precisa confiar em mim... – repeti sua fala do dia anterior."
Sobre o autor:

Jéssica Anitelli tem livros publicados tanto por editoras quanto de forma independente. É formada em Letras pela Universidade Federal de São Paulo e já trabalhou como professora da rede estadual. Atualmente exerce a profissão de revisora de textos na Editora Poliedro.
Nasceu na cidade de Leme/SP, em 1990, e atualmente mora em São José dos Campos/SP.
Escreve desde os 17 anos quando deu início aos primeiros capítulos da sua obra de estreia no mundo literário, O Punhal, uma história de vampiros dividida em quatro livros que tem como palco sua pequena cidade natal no interior de São Paulo. É também autora de livros eróticos e juvenis.