Resenha: Diário de Uma Garota Normal - Phoebe Gloeckner

21 março 2016



Edição: 1
Editora: Faro Eitorial
Autor: Phoebe Gloeckner
ISBN: 9788562409400
Titulo Original: The Diary of a Teenage Girl
Ano: 2015
Páginas: 321
Tradutor: André de Oliveira Lima

Sinopse:
'Minnie é uma garota de 15 anos que registra num diário tudo o que sente e acontece em sua vida.Seu relato é incomum apenas porque ela conta tudo. Não há aqui a sutileza das histórias para meninas, quase sempre romantizadas para parecerem mais leves. A descoberta da sexualidade, o interesse pelos garotos, as novas amizades, tudo é contado de forma tão natural que acaba por revelar como o mundo adulto é cáustico, doloroso e cruel, se visto pelos olhos de uma adolescente que está prestes a entrar nele.'

Resenha:


E mais uma vez eu me vejo aqui, sem saber bem o que escrever para vocês, a única coisa que eu posso dizer é que este livro me chocou completamente. Sem mais.

É bastante comum no mercado editorial livro que sigam o formato de diário, como se acidentalmente o leitor tivesse pegado sem permissão o diário pessoal do personagem e descobrisse seu pensamentos mais profundos e particulares. Mas, o caso aqui é que não estamos lidando com uma personagem infantil e inocente, e relatos de suas aventuras.

Em Diário de uma Garota Normal, o que menos vamos encontrar é a normalidade que esperamos, mas ao mesmo tempo o livro vai nos fazer questionar qual é a “normalidade” esperada para cada tipo de pessoa, isso levando em conta quais são a realidade de vida de cada uma delas.
Aqui vamos ser introduzidos no cotidiano de Minnie Goetze, uma menina que começa a narrar o seu dia a dia em um diário pessoal com apenas 15 anos, quando está descobrindo o mundo e suas armadilhas.
Assim como todas as garotas de sua idade, Minnie tem incertezas sobre tudo, principalmente sobre sí mesma, sua aparência física e qual o seu lugar no mundo. E apesar de a condição financeira não ser lá muito estável, Minnie estuda em colégio particular, pagos por seu avos, e é lá onde ela se sente mais insegura e desajustada, já que apesar de frequentar o mesmo lugar, ela e a irmã não tem acesso aos mesmos recursos e luxos que as outras crianças. O que resulta sempre nas duas se sentindo menosprezadas.

Mas a realidade familiar de Minnie também não é nem um pouco estruturada. Sua mãe, Charlotte, já se divorciou diversas vezes e atualmente recebe regularmente a visita de diversos "namorados" em casa. Local este, o onde o consumo de drogas e bebida é algo comum e corriqueiro. Enquanto Charlotte da suas festas, Minnie e sua irmã mais nova, Gretel, de apenas 13 anos  ficam no quarto.

Um dos frequentes visitantes da casa das garotas é Monroe,  o namorado da mãe delas (um dos), um cara experiente e mais velho, que logo se insinua para Minnie, deixando a garota confusa e sem saber como agir em sua ingenuidade. Mas, o que mais falta para Minnie e sua irmã e atenção e amor, por parte de todos, já que não tem família e a mãe não da a minima para nenhuma delas. E quando Monroe se mostra atencioso e carinhoso, logo Minnie se vê envolvida com o namorado da mãe, em um relacionamento doentio, relatado em detalhes, inclusive desenhos, que chocam e revoltam o leitor.
“Ele mais ou menos roçava o meu seio por cima da camisola, mas eu estava tão surpresa com aquilo, que mesmo suspeitando que fosse grosseiro e arrogante de minha parte imaginar algo feito de propósito, eu me afastei porque não queria que ele sentisse como meus seios eram pequenos."

E é depois que Monroe e Minnie começam a se envolver que as coisas na vida da garota saem dos eixos completamente. É a partir daí que ela começa a se envolver com qualquer homem que demonstre interesse, a beber, usar drogar , ser expulsa de diversas escolas... Mas Minnie tem um dom e um sonho, ela ama desenhar e sonha em ser uma cartunista famosa.

E apesar de todos os temas citados acima citados, o mais chocante de todos é o fato de que esta trama não é fictícia. Este livro é baseado nas experiências vividas pela autora. Minnie é Phoebe.
Este é um livro com uma trama forte e chocante em todos os sentidos. Como eu já mencionei, é fácil o leitor chocar-se em diversos momentos. Ele relata, em detalhes, todas as angustias e inseguranças vividas por adolescentes, e que podem ser agravadas e se tornarem devastadoras quando o jovem não possui uma estrutura familiar adequada. Mas, principalmente, mostra o que a falta de amor e atenção  pode ser o mais perigoso em todo esse processo de auto destruição.
“Eu me sinto tão desajeitada e feia e ingênua e sozinha. Talvez eu devesse me matar, talvez eu devesse pintar um quadro. Sempre quis que me tocassem. Não sei o que há de errado comigo”
Gente, é muito difícil falar sobre este livro, pois querendo ou não, você esta julgando a vida de uma pessoa. Mas, eu fui inicialmente enganada, já que solicitei este livro levando em consideração apenas a capa e cai na armadilha de achar que era uma trama engraçado, uma comedia. Só Deus sabe o quanto eu estava enganada.
E eu achei difícil, inaceitável e revoltante alguns temas abordados, como o uso de drogas livre e sem restrição permitido pela mãe de Minnie. E também o tema assédio sexual, que por mais que o ato tenha sido consentido, não deixar de ser assedio, inclusive moral.

Este foi um livro consagrado e comentado pela mídia internacional, sendo considerado “uma das obras mais inovadoras que retratam a vida das jovens mulheres”.
A escrita da autora é muito fluida e simples, fazendo jus ao modelo de diário adolescente. Mas, apesar disso tudo, eu tive uma grande dificuldade em prosseguir com a leitura, principalmente pelo fato de que possui divagações demais, o que não é um erro, já que o livro possui este formato de diário, mas o que torna a leitura enfadonha e lenta.
Ao longo da trama vamos ver a protagonista chegando ao fundo do poço, mas também vamos ver a luta dela para sair dele. Então, deixo claro que é um livro bastante humanizado e realista.

Enfim, esta é uma leitura forte e chocante, que apesar de aparentar ser uma livro infantil e engraçado, esconde em suas paginas um drama psicológico.

E por falar em diagramação, ela é perfeita. O livro é repleto de ilustrações, criadas pela própria autora que é cartunista, dividindo a forma como a trama é narrada, já que horas se torna historia em quadrinhos. O trabalho da editora Faro é primoroso, conta com uma revisão perfeita, folhas amareladas e uma fonte agradável para leitura.  Já a capa, é meio traiçoeira, pode levar o leitor a imaginar algo totalmente diferente do que vai encontrar, como foi o meu caso.


Sobre o autor:

Phoebe Gloeckner nasceu na Philadelphia e cresceu em San Francisco. Seus quadrinhos apareceram pela primeira vez em publicações underground quando ela era ainda adolescente. Hoje, é aclamada pela critica por sua coleção de historias, quadrinhos, pinturas e gravuras.