Resenha: Enquanto Bela Dormia - Elizabeth Blackwell

12 fevereiro 2016


Edição: 1
Editora: Editora Arqueiro
ISBN: 9788580414790
Ano: 2016
Páginas: 368
Tradutor: VERA RIBEIRO

Compre: Amazon / Submarino

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Nos salões de um castelo, uma confidente leal guardou por muitos anos os segredos de uma rainha linda e melancólica, uma princesa que só queria ser livre e uma mulher que sonhava com a coroa. Esta é sua história.
Ambientada em meio ao luxo e às agruras de um reino medieval, esta releitura de A Bela Adormecida consegue ser fiel ao clássico ao mesmo tempo que constrói uma narrativa recheada de elementos contemporâneos. Nessa mescla, os dramas de seus personagens – um casal infértil, uma jovem que não aceita viver em uma redoma e uma família despedaçada pela inveja – tornam-se atemporais.
Quando a rainha Lenore não consegue engravidar, recorre aos supostos poderes mágicos da tia do rei, Millicent. Com sua ajuda, nasce Rosa, uma menina linda e saudável. No entanto, a alegria logo dá lugar às sombras: o rei expulsa de suas terras a tia arrogante, que então jura se vingar. Seu ódio se torna a maldição que ameaça a vida de Rosa. Assim, a menina cresce presa entre os muros do castelo, cercada dos cuidados dos pais e de Flora, a tia bondosa e dedicada do rei que encarna a fada boa do conto original.
Mas quando todas as tentativas de proteger Rosa falham, é Elise, a dama de companhia e confidente da princesa, sua única chance de se manter viva. E é pelos olhos dessa narradora improvável que conhecemos todos os personagens, nos surpreendemos com o destino de cada um e descobrimos que, quando se guia pelo amor – a magia mais poderosa do mundo –, qualquer pessoa é capaz de criar o próprio final feliz.
Resenha:

"Consola-me pensar que a história da Bela Adormecida continuará viva depois de todos nós, uma história de maldade derrotada e amor triunfal que ressoará por séculos. E é assim que deve ser. Porque a verdade não é nenhum conto de fadas."
Enquanto Bela Dormia é uma releitura do famoso conto de fadas A Bela Adormecida. Por anos, assistimos e lemos o que aconteceu com a Bela por seus olhos. Filmes e desenhos nos levaram a acreditar que Bela era uma princesa frágil e indefesa.
Depois, assistimos a Malévola contar a história por seu ponto de vista. Nos solidarizamos com a traição que a mesma sofreu e acompanhamos o amor que crescia de Malévola por Bela, a "peste" que ganhou o coração da bruxa má.
Agora é a vez de você, caro leitor, conhecer a história por um ângulo muito diferente do imaginado.... Quem vai contar essa história é Elise. Elise não é uma princesa, não é uma dama... Elise foi criada em uma fazenda e depois da morte de sua mãe, foi para o castelo tentar a sorte. Muito astuta e desejando uma vida melhor, consegue chegar a um posto onde ela fará parte da vida na corte: Seguindo sua senhora, a rainha Lenore por todos os lados no castelo, Elise descobrirá um grande amor por essa família. Viverá um amor verdadeiro por um homem bom. Enfrentará dramas emocionais que a farão duvidar de sua força e cuidará para que a verdadeira história de A Bela Adormecida, seja contada fielmente.


A história se passa em uma época medieval, por isso, trás os costumes e linguagem adequados a época. Em si, o enredo é todo voltado para a história de Elise e, em como ela fez parte em tudo o que aconteceu com a família real.
Uma rainha devastada por não poder ter filhos; um rei que já tinha desistido de ter um herdeiro; um príncipe que ansiava o trono do irmão e uma tia que poderia fazer qualquer um fazer o que ela quisesse. É neste contexto que Elise se depara em seus primeiros dias no castelo. Millicent, a tia do rei, é uma mulher a frente de seu tempo. Desejou a vida inteira a coroa, mas por ser mulher, esse desejo lhe foi negado. Forte, destemida e intimidante, Millicent vive a voltas pelo castelo, fazendo o que faz de melhor: influenciando as pessoas a seu bel prazer. Mas o rei não cai em suas artimanhas e depois de uma briga séria, Millicent é expulsa do castelo. Mal sabe a família real que essa foi sua ruína.
"Hum! Seria mesmo um belo truque derrubar uma filha da realeza com um fuso pontiagudo, depois vê-la renascer com um único beijo. Se existe esse tipo de mágica, ainda não a conheci. O horror do que realmente aconteceu perdeu-se, e não é de admirar. A verdade está longe de ser história de criança."
Com uma história instigante e com poucos diálogos, Elizabeth Blackwell nos mostra uma versão mais realista do que pode ter acontecido. Sem magias e fadas madrinhas, a história chega a ser quase real demais. Elise é uma personagem bem construída e cheia de defeitos que nos fazem gostar dela por si só. Millicent, com seu jeito altivo, nos cativa e nos deixa apreensivos pela sua próxima jogada nesse jogo de poder.
Todos os personagens tem sua carga emocional para o livro. Alguns sombrios e exitantes, outros cheios de amor e carinho. Rosa, a princesa, é uma personagem que me agradou muito, pois carrega a essência da Bela Adormecia original, mas também tem seu toque de realismo para que a história, de fato, seja fora dos padrões anteriores.


Gostei muito da história em si, só título do livro que não faz jus ao enredo apresentado. Rosa, a Bela, não passa a vida dormindo, ela nasce, cresce e aprende tudo o que uma princesa deve saber antes de poder governar seu reino. Elise é minuciosa em sua narrativa, deixando o leitor ávido por saber o que acontecerá nos próximos capítulos. Os ganchos que a autora deixa, são maravilhosos e faz o leitor ler sem vontade de parar.
"Trêmula, dei meia-volta e avistei Millicent, cujo rosto estampava um sorriso cheio de si. Ela sabia, percebi, num clarão de entendimento. Sabia que a rainha estava grávida, e sabia como esse anúncio se desdobraria."
A narrativa é em primeira pessoa, narrada por Elise. É uma história sendo contada a sua neta e como não estou acostumada com livros assim, achei a ideia maravilhosa e me deu outra perspectiva durante a leitura. A capa é linda, cheias de detalhes que enaltece a obra. A diagramação é boa, sem erros aparentes o que tornou minha leitura rápida e sem problemas. Como um todo, o livro é lindo, tanto por seu interior, quanto o exterior.


Você acredita em contos de fadas? Está preparado para proteger um reino onde a inveja, egoísmo e manipulação andam lado a lado? Teria coragem de abrir mão do seu verdadeiro amor por uma família que não é sua?
Venha descobrir as respostas para essas perguntas e tantas outras que permeiam essa história linda e trágica! Conheça o amor em todas as suas formas e escolha um lado - a guerra vai começar!
"Como seria possível me confiarem a atribuição de deter alguém como Millicent, uma mulher decidida a fazer o mal, capaz de submeter minha mente aos seus desejos?"

Avaliação:


Sobre a autora:






Elizabeth Blackwell se formou em história e comunicação na Universidade Northwestern e fez mestrado em jornalismo na Universidade Columbia.

Teve muitos empregos – entre eles o de editora de uma revista e escritora freelance –, mas o de autora é, de longe, seu preferido. Mora no subúrbio de Chicago com o marido, três filhos e uma pilha cada vez maior de livros de cabeceira.