Resenha: A Auriflama do Caos – A nova ratoeira (Livro 1) - Mogg Mester

10 fevereiro 2016


Edição: 2
Editora: Pimenta Malagueta
ISBN: 9788565512244
Ano: 2013
Páginas: 288


Livro cedido pelo autor para resenha
Sinopse: Trilogia de fantasia medieval, ao estilo Senhor dos anéis ou crônicas de Dragonlance, A Auriflama do caos conta a peleja de um grupo de aventureiros para descobrir as causas de alguns problemas no mundo de Fyskar. Lá eles descobrem que algo de muito importante para todo o universo está por acontecer. Alguém com a alcunha Auriflama do caos está preparando algo de muito ruim. Quem são seus aliados? Quem está por detrás disso? Quem é a Auriflama do caos?




Nesse primeiro livro o autor nos apresenta o seu mundo fantástico repleto de seres mágicos como elfos, magos, anões e gnomos em cenário medieval. Onde um grupo de cinco velhos amigos e guerreiros conhecidos como Laminas Flamejantes, precisam descobrir o que está causando o desequilíbrio na parte mágica desse mundo conhecido como Fyskar, no continente de Driguard.
Até descobrir que algo denominado Auriflama do caos invocou um mal terrível nesse mundo, e precisam combater esse inimigo assim como descobrir quais são seus verdadeiros planos.
“O carcereiro, que aos olhos de Barack, era um terrível predador, sacolejava seu molho de chaves morbidamente. O pequenino sabia que estava preso, não havia onde se esconder. Seria violentado; não havia como se defender. Suas mãos haviam-lhe sido cortadas por aqueles que o derrotaram e o prenderam. Nada mais podia fazer em sua defesa além de espernear ou se encolher em um canto empoeirado do cubículo onde estava.”
É um livro ideal para quem gosta de leituras no estilo Senhor dos Anéis ou jogos de RPG, o autor criou um universo rico em detalhes e o glossário ajuda a entender, os vários nomes e denominações.
Porém, como é o primeiro volume, boa parte do livro é o reencontro dos Laminas Flamejantes, a explicação dos personagens e suas razões, a aventura demora um pouco para começar.
“Coisas estranhas começaram a acontecer depois que algo despertou no universo. Tribos bárbaras que estavam quietas há mais de 20 anos voltaram a guerrear sem motivo aparente. Marcham sobre a bandeira de alguém intitulado como Auriflama do Caos.”
A capa é bem interessante com uma ilustração marcante, bem elaborada nos mostra um dos personagens, possui orelha. Adorei a capa. Páginas amarelas, porém as letras são pequenas o que dificultou a leitura, diagramação simples e me deu a sensação que o conteúdo foi compactado, possui alguns erros e algumas repetições, mas nada que atrapalhe a leitura.
“Quando estamos diante de uma cena tão bela como essa, torna-se mais fácil ver as conexões que levam uma coisa a outra, em tudo o que nos cerca. É como se já soubéssemos o fim de uma história que se desenrola: como se fossemos o observador, ou o resto do mundo, ou a carruagem, ou a barata, até que tenhamos cumprido nosso papel no todo e sejamos esmagados como uma daquelas infelizes.”
Indico A Auriflama do Caos para todos que gostam de uma boa fantasia. Os personagens são bem construídos e a narrativa gostosa. O autor inovou ao criar um enredo fantástico em um cenário medieval, e isso me cativou muito. Aguardo ansiosamente o próximo volume.


Avaliação:


Sobre o autor:



Médico veterinário, acadêmico entusiasta de Psicologia, em especial da Junguiana, Mogg Mester vive em Salvador, na Bahia, onde busca constantemente transformar a argamassa de sensações do dia a dia em conteúdo literário. Nas horas vagas, além de joalheiro, ele é sonhador. Ele estuda, fuça e se conflitua com todos os seus horrores pessoais para traduzir ao leitor as emoções mais inquietantes a que o ser humano está exposto. Como um pintor pinta um quadro, ele espera conduzir o público nesse labirinto em que apenas o fantástico pode retratar com fidedignidade uma condição além das palavras da realidade. Você esta preparado?