(Novembro Nacional) Resenha: Vick - Anne Amorim

04 novembro 2015

Edição: 1
Editora: Planeta Literário
Autor: Anne Amorim
ISBN: B00WD3Z8K4
Ano: 2015
Páginas: 180

Sinopse:
Eu me chamo Vick. Não sei quem eu sou. Não conheço o meu passado, meu presente é horrível, e meu futuro é incerto.
Vick não se lembra de como foi parar na casa de Ivan. Seu passado, quem ela é ou qual é a sua família são incógnitas. A única coisa que tem certeza é de que seu presente é insuportável demais. Ela odeia o toque de Ivan e as coisas que é obrigada a fazer para continuar vivendo.
A sua única solução é fugir. Mas, para aonde?
Vick não tem dinheiro e não conhece ninguém que possa lhe ajudar. Mas qualquer coisa é melhor do que continuar no único lugar que ela conhece. Ela irá atrás de uma vida melhor e quem sabe encontrar o seu passado para tentar ter um futuro.
Será possível escapar de Ivan?
Conheça a história da Vick. Uma menina sem passado, com um presente cheio de monstros e um futuro incerto.

Resenha:
“Não conhecia o meu passado e meu presente era horrivel. Porem, o meu futuro era incerto.”
O que mais me deixou curiosa sobre esse livro foi a  contradição entre a capa aparentemente inocente e a classificação do livro para maiores de 18 anos. Primeiramente a pensei “Hm, mais um hot enrustido”, mas o caso aqui é totalmente diferente do que eu imaginava, o livro não trata apenas de sexo, sexo consentido entre um casal, por mais bizarro que pareça. Aqui vamos ter um assunto mais delicado e polemico, o estupro!

Vick é uma garota que não conhece sua origem. Desde os três anos ela vive com Ivan e Joaquim, os dois homens que a sequestraram, e a mantem preza em uma casa no meio da nova. Até os onze anos de idade, ela foi criada com crueldade, apanhava com freqüência de ambos os homens, mas vivia uma vida razoável, considerando o que viria a seguir.
Quando completou doze anos e ficou menstruada pela primeira vez, sua vida se transformou em um inferno. Humilhada diariamente, Vick era amarrada e estuprada por ambos os homens todos os dias. Quando resistia, era trancada no porão sem comida e água por vários dias.

Acreditando no que Joaquim e Ivan lhe contavam, Vick cresceu acreditando que sua família  a abandonou e que vivia esta terrível e cruel realidade, pois seus pais não a queriam, sem ideia de que na verdade, foi arrancada de sua familia.
As humilhações seguiram até os dezoito anos da garota, quando ela decidiu que fugiria, nem que isso custasse a vida.

No seu aniversario de dezoito anos ela decide colocar seu plano em pratica e, felizmente, consegue fugir. Mas, o passado deixou marcas em Vick, ela agora é uma garota quebrada, emocionalmente e psicologicamente. Mas, aos poucos ela vai descobrir que o mundo não é só maldade.
Em um posto de gasolina, ela encontra um senhor chamado Frederico Molinari, um caminhoneiro que oferece carona. Assim, ela vai parar na cidade de Felicidade e acaba conseguindo emprego como garçonete no restaurante da esposa do Sr.Frederico, Dona Elen.

A partir desse momento, a vida de Vick começa a estabilizar, passa a dividir apartamento com uma outra garçonete e também conhece Will, o delegado da cidade, um rapaz simpático e atencioso, que por um erro do destino, é noivo da megera Maitê. Mas o passado, que Vick torce para que esteja morto e enterrado, talvez retorne para atormentá-la.
"Eu tenho fantasmas Will, tenho medo, inseguranças,mas não quero que elas atrapalhem nós dois. Não sei o que estou sentindo, porque é muito diferente, só sei que não quero te perder."
Como eu falei lá em cima, o livro me chamou atenção pelo fato de a capa aparentar um livro “inocente” e ao mesmo tempo ser classificado para maiores de dezoito anos.

O livro veio da parceria com a editora Planeta Literario, e foi uma grande surpresa, pois eu tinha solicitado “A Herdeira”, um outro lançamento da editora, e “Vick” foi enviado junto. Resultado: Li "Vick" primeiro do que “A Herdeira”. HAHAHA.

Este é um livro intenso, com uma historia densa e personagens que possuem uma bagagem emocional imensa. Eu realmente não posso falar muito, pois o livro tem só 180 paginas, se aprofundar a resenha, acabo entregando os pontos vitais da historia e estragando a leitura de vocês.

 A autora,Anne Amorim (ou Julie Lopo, que são os pseudônimos de Julianne Rodrigues Ramos), nos apresenta uma trama que vai emocionar e revoltar a maioria dos leitores. As cenas descritas detalhadamente sobre agressões e estupro de uma menina de doze anos revoltam. Vick é obrigada a passar por situações indizíveis e humilhantes, e o mais incrível, é que ela suporta todas elas e não perde a esperança de uma vida melhor. Então, já aviso, o livro vai, com certeza, deixar o leitor com as emoções a flor da pele.

Na bio da autora, ela confessa que quase parou de escrever quando um professor falou que ela não tinha talento.  Bem Anne, esfregue seu livro na cara dele, ok!? Talento é o que não falta para autora! A trama de "Vick" é escrita em primeira pessoa, mas com os capítulos intercalados entre o ponto de vista de vários personagens, não só o casal de protagonistas. A autora ousa entrar até mesmo na mente do vilão psicopata, o que é maravilhosamente fantástico.

Mas, em contra partida, o livro possui diversos pontos que, ao meu ver e na minha humilde opinião de leitora, deveriam ser melhorados. O primeiro deles é a revisão, que não esta ruim,mas possui alguns erros bem visíveis.
O romance também é algo que não fluiu como deveria. Em um livro que nos traz esse tema tão real e intenso, merecia um romance digno, não aquele horrível amor a primeira vista totalmente irreal, onde o tempo entre o primeiro olhar e o eu te amo é de dois dias. Ainda mais quando cada qual dos protagonistas tem uma realidade bastante distinta e complicada, simplesmente não convence.

A autora também desenvolveu a personalidade de Vick de uma forma um pouco forçada e exagerada. A inocência da garota é excessiva, ainda mais para alguém que passou por tudo que ela passou. Eu até entendi qual era a intensão, de faze de Vick uma pessoa pura, quase infantilizada, pela vida reclusa que lhe foi imposta, mas acabou pecando por excesso, infelizmente.
O livro também possui um erro cronológico gravíssimo. Não posso entrar em detalhes, pois revelaria um ponto importantíssimo da trama, mas é tão gritante que chega a ser ridículo.

Enfim, eu gostei bastante do livro, apesar das ressalvas. A autora possui uma escrita fluida e bastante simples, o que torna a leitura bastante agradável.
O livro físico também foi uma surpresa pra mim, a capa, que inicialmente não fez muito sentido, ao final da leitura se tornou totalmente explicativa. A diagramação também é muito bonita, cada divisão de capitulo possui desenhos de bolhas de sabão, algo que só quem vai ler ou leu a historia pode entender.A revisão, como eu disse, deixa a desejar.O miolo é de paginas amareladas e uma fonte agradável para leitura.
"Muito tempo atras eu não sabia quem eu era, só sabia que não tinha esperanças de um futuro. No dia em que nos conhecemos, a Lilian fez com que eu assoprasse uma velinha e fizesse um pedido, eu pedi por uma familia, e para que eu conhecesse um grande amor como nos livros que eu lia."
Sobre o autor:

Julianne Rodrigues Ramos (Julie Lopo) Nascida em São Paulo capital, formada em Direito. Leitora compulsiva, chegou a ler 25 livros em um mês. Viciada em livros, chocolate, sapatos e maquiagem. Sempre gostou de escrever, mas parou quando uma professora disse que não tinha talento, mas nunca desistiu do seu sonho. Gosta de filmes românticos, de comédia e de ação.