Resenha: Enquanto Houver Amor, Haverá Esperança - Sarah Kilimanjaro

27 setembro 2015


Edição: 1
Editora: Petit Editora
ISBN: 9788572532945
Ano: 2015
Páginas: 304

Adicione no Skoob
Compare os preços e compre AQUI

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Enquanto houver amor haverá esperança - Até que ponto alguém consegue superar suas dores? Por que uns têm coragem e seguem em frente apesar de todas as dificuldades e outros caem em desânimo?
Esta é a linda história de Erika e Maurício, uma história de coragem, persistência e superação.
Erika quando criança sofre um grave acidente que a deixa paraplégica, porém com o amor dos pais, dedicação dos médicos e coragem da menina ela consegue superar suas limitações.
Maurício é um famoso e admirado corredor de automóveis, mimado, tendo tudo nas mãos, se deixa cair no desânimo quando um acidente o deixa fora de seu “mundo ideal”.
Duas histórias que se cruzam, e com resultados diferentes.
Conheça essa comovente história e saiba por que enquanto houver amor há esperança!





Como diz o subtítulo uma historia de amor, coragem e superação.
O livro começa com de Alex e Viviane, pais de Erika, que embalsam a historia da personagem principal, que aos 5 anos sofre um grave acidente e passa a usar cadeira de rodas por muitos anos. Mostra o amor e dedicação dos pais em relação a sua única filha, não perderam a fé na medicina e em ver a filha voltar a andar.

Aos 14 anos ainda em cadeira de rodas ela decide que vai cursar medicina e ajudar pessoas na mesma condição.
No terceiro ano de faculdade, Erika trabalha como voluntaria em uma clinica psiquiátrica e uma de reabilitação, usava seus talentos de cantar e tocar para levar alegria aos pacientes.
“Ah, meu Deus! Não consigo me conter, não quero magoá-la, faço mil propósitos, mas não sei você agita o que eu quero esconder, mostra o que eu não consigo vencer e sem querer me acerta.”
É na clinica de reabilitação que ela conhece Mauricio, um jovem rebelde e mimado, que após sofrer um acidente de carro durante uma corrida fica paraplégico e revoltado com tudo e com todos.
Mauricio se recusa ajuda de Erika e não perde uma oportunidade de agredi-la verbalmente.
Erika se apaixona por ele, mesmo sendo tratada desse jeito e sofre por não conseguir ajudar.
Com apoio dos pais e do diretor da clinica ela busca ajuda na comunidade espírita.

Passando a ter orientação dos mentores consegue perceber que sua ligação com Mauricio é de outras vidas onde existiam pendências a serem resolvidos nessa vida.
Ele não sabe o que sente por ela, e fica confuso em meio a situação que se encontra, com medo de não voltar mais a andar, se questiona sobre a existência de Deus e por isso acaba sempre atacando como forma de se proteger.
Erika decide continuar lutando para conseguir pagar dividas do passado e poder viver o amor há que são destinados, expressando que com amor, paciência e dedicação somos capazes de resgatar as pessoas que amamos.

Enquanto Houver Amor, Haverá Esperança é um livro cheio de significados, que nos coloca na pele dos personagens e nos faz enxergar a vida de outra forma. Apesar de ser um livro com doutrina espírita, antes de tudo é um romance que nos faz pensar, rever certas atitudes e crer em uma força maior, que quer nos proteger e nos amar.
“Diz Olavo Bilac: Bendito aquele que é forte, e desconhece o rancor, e, em vez de servir a morte, Ama a vida e serve o amor.
A capa é linda, muito bem elaborada e com orelha. Retrata perfeitamente o enredo apresentado. A narrativa é gostosa e nos deixa ansiosos para saber o que o destino escreveu para esse casal tão diferente um do outro, mas que ainda possuem pendências a cumprir nesta vida. As páginas são brancas, com letras em tamanho confortável para a leitura; os capítulos possuem detalhes de flores, o que só deixa o livro mais bonito de se ler e apreciar. 

Se você gosta de um bom drama, super recomendo este volume. Convido você a descobrir se o amor supera tudo.


Avaliação:


Sobre a autora: 




Sarah Kilimanjaro nascida e residente na cidade Bagé, estado do RS. Professora na área de pedagogia e pós-graduada em psicopedagogia. Palestrante ativa, atua no movimento espírita desde jovem escreveu vários artigos em jornais e revistas espíritas. Ocupou funções como presidente da sociedade e espírita Vicente de Paulo e vice-presidente da UME – União Municipal Espírita – Órgão ligado a federação do Rio Grande do Sul.