Resenha: As Grandes Aventuras de Daniella - L.L. Alves

20 maio 2015

Editora: Independente
Páginas: 120
Leia gratuitamente no Wattpad ou Widbook
Sinopse: Tudo parece (quase) perfeito na vida de Daniella Fagundes, mesmo com sua boca suja, dois pés esquerdos e quilinhos a mais. Afinal, ela tem um namorado carinhoso, está de emprego novo e tem amigas que nunca a deixam de lado. Mas o que fazer quando toda sua vida (quase) perfeita começa a desmoronar diante de seus olhos? E se a pressão por causa desses quilinhos a mais, das roupas que nunca cabem direito e dos olhares de deboche na rua sejam o estopim para que a jovem catarinense de 28 anos torne-se mais desinibida e despreocupada? Depois de descobrir sobre a tentativa de suicídio da mãe e de ter alguns problemas no novo emprego, Daniella resolve dar um tempo no seu relacionamento e começa a repensar todas suas escolhas. É apenas nesse momento, quando ela decide aprender mais sobre si mesma e sobre seu corpo com humor e diversão, que Daniella descobrirá que ainda tem muito a viver, e que suas aventuras apenas acabaram de começar.

Resenha:

"Mas minha vida não é um filme ou um livro. Não existem “se’s” ou varinhas mágicas para fazer o tempo voltar e tudo ser perfeito. A vida não é assim. A vida, na realidade, é um montinho de cocô. Pois é, acredite em mim. Você pisa na vida e então tem que decidir se é bom ou ruim. Você tem duas escolhas: ficar irritado ou chorar porque tem cocô no seu sapato; ou ficar feliz porque, ao menos, você não escorregou e sujou o resto da roupa, ou o rosto (eca)."
Quando a autora me chamou para ser uma das betas deste livro, eu aceitei prontamente, pois a protagonista, Daniella, é uma velha conhecida minha do conto Desejo, da mesma autora. Enfim, já sabia que poderia esperar de tudo, e realmente esperei, mas gente! Sabe aquele livro que você lê e pensa, "Peraí! Esse livro é pra mim! Como? Como a autora sabe tanto sobre de mim?" Pois é... foi bem isso que eu pensei. Mas calma lá! Não sou tão engraçada quanto a Dani, mas passei por uns bons bocados como ela.
Dani é uma personagem que ao mesmo tempo que se ama, também se odeia. Ela é gordinha e isso a incomoda muito. Namora o Thiago à 2 anos, e quando tudo parece flores, o mundo desaba na cabeça de Dani, e o que era um amor verdadeiro e lindo, passa a ser ódio puro destilado por ambas as partes. Dani resolve mudar, experimentar, fazer e acontecer. Ela quer se sentir desejada, bonita... Ela quer se sentir bem com ela mesma. Mas esse caminho é longo e extenuante. Daniella sofrerá muito até finalmente, se aceitar como é. 
"– O que aconteceu? – senti minha garganta fechar. Minha mente controlava tudo: visões de acidentes de carro, derrame e ataque cardíaco a dominaram e eu queria me dar um soco na cara por isso – poxa, eu daria uma boa de uma escritora, isso sim!"
Eu amo a escrita da Luene, já disse isso em outras resenhas de seus livros. Neste livro, a narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista da protagonista Daniella. Apesar de todo drama que o livro trás, Dani consegue ser divertida e engraçada, me tirou muitas risadas. Mas também me fez chorar, me fez me ver de outra forma, ver o mundo de outra forma. Ela conversa com o leitor, faz o leitor parecer um amigo sabe? Eu adorei isso, me peguei várias vezes respondendo as perguntas dela.... tá, só um pouco doida aqui! Além de trabalhar o lado psicológico da protagonista, a autora também fala mais sobre sua família e amigas. Paula e Sabrina são as melhores amigas magras do mundo! rsrsrsrsrs E por incrível que pareça, Dani consegue fazer mais amigos no decorrer de suas aventuras....
"Lembro-me de olhar para os lados, notando muitas crianças no ônibus, e o movimento constante e o barulho de conversa aqui e acolá, e é quando eu grito. Isso mesmo. Daniella Fagundes, a gordinha estranha, grita como uma lunática no ônibus, e começa a rir histericamente. Se você queria mais dicas para comprovar que não sou uma pessoa muito normal, aqui está, caso encerrado."
Durante todo o livro, a autora cita personagens de outros livros famosos, séries de tv e tem até uma citação de Lara, do outro livro da autora IJP. Vocês não imaginam como é engraçado. Apesar de Dani viver brigando consigo mesma, ela é muito divertida. Adoro a boca suja dela! Até parece que ninguém solta um palavrãozinho quando precisa! Acho que não preciso dizer mais, este livro entrou para os meus preferidos pelo simples fato de mostrar a história de uma gordinha que quer ser feliz do jeito que é. Diferente de tudo o que já li e já vi. Um enredo inovador, uma protagonista estabanada e divertida, uma história que pode ser real, e as vezes é para muitas mulheres!
"Eu não sabia o que dizer. O colar no pescoço dele era como uma mãe protetora me olhando feio e me julgando. Eu virei os olhos e vi a imagem de Jesus Cristo na parede do quarto dele e quase entrei em desespero (...)
– E agora? – ele perguntou.
Comecei a gargalhar.
E agora? Eu que pergunto. E agora que eu mostrei para ele os prazeres carnais? Os prazeres do corpo e da união. E agora?
– Não sei – eu disse e só tinha um pedido em mente.
Um pedido que martelava na minha cabeça e eu esperava que funcionasse:
Meu Deus, perdoe-me por isso. E, por favor, por favor, não me mande para o inferno."
O livro está sendo postado no Wattpad e no Widbook, convido vocês a conhecerem essa personagem incrível. Não sou fã de Chick-Lit mas confesso que este livro eu leria mais umas mil vezes sem me cansar! Super recomendado!
"Mas sabe o que mais? Dane-se. Eu seria feliz, eles querendo ou não. Acho que estava na hora de eu me impor. Talvez eu deva fazer isso mais vezes. Talvez isso tivesse me ajudado em muitas ocasiões. Mas não adianta chorar pelo o que passou, certo?"

leia a resenha do conto Desejo que deu início a este livro.

Avaliação: 


Sobre a autora: 


L. L. Alves, nome artístico de Luene Langhammer Alves (também conhecida apenas como Lu ou Chefe pela Ordem dos Blogueiros), nasceu em 27 de maio de 1991 e estuda atualmente Letras - Língua e Literaturas Inglesa pela Universidade Federal de Santa Catarina. Enquanto mescla seu dia entre leituras e escritas, trabalha como assistente de tradução meio período.