Resenha: Ligações - Rainbow Rowell

18 abril 2015

Edição: 1
Editora: Novo Século
ISBN: 9788542804812
Ano: 2015
Páginas: 304

Adicione no Skoob
Compre AQUI - R$ 21,51

Livro cedido em parceria com a editora
Sinopse: Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.Talvez sempre esteve em segundo plano.
Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.
Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.
Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…
Será que é isso mesmo o que ela deve fazer?
Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?

Resenha:

Hoje pela manhã, eu li uma resenha deste livro em um blog que sigo e comento sempre, o blog da Diana (Minhas Escrituras). Quem fez a resenha foi a Ninah, e depois de ler - a resenha - fiquei pensando em o que eu diria depois que terminasse a leitura... Isso porque fui dormir as 2 hs da manhã porque não conseguia largar este livro, mas o sono me venceu (não sou mais uma adolescente, 2 hs da manhã é meu limite! rs) e eu deixei as 20 últimas páginas para terminar hoje e gente, já sinto saudades da história...


Georgie é uma mulher de trinta e poucos anos, casada com Neal a 15 e mãe de duas garotinhas lindas. Como diz a sinopse, Georgie ama profundamente Neal, e ele a ela. Mas os anos de casamento acabaram deixando ambos relaxados demais - Georgie trabalha fora, Neal fica em casa com as crianças, Neal faz a comida, Neal lava as roupas, Neal é praticamente a mulher da casa. Georgie sabe que está perdendo seu marido, seu porto seguro, e a prova disso acontece quando ele vai passar o natal com sua mãe e leva as crianças.... não que Georgie não quisesse ir junto, ela queria! Mas surgiu uma oportunidade de ter seu próprio programa e ela não podia deixar passar... podia?
"Georgie nunca imaginara que viveria tanto tempo a ponto de falar sobre a vida em grandes nacos, décadas, desse jeito.
Não que achasse que morreria antes - apenas nunca imaginara como seria a sensação. O peso das proporções. Vinte anos com o mesmo sonho. Dezessete com o mesmo homem."
Então, aí você pode até pensar: "que mulher doida, largar o marido e as filhas para ficar trabalhando?" Mas me diz, quantas pessoas não fazem isso hoje em dia? É... o caso é complicado, isso porque você leitor, não conhece Georgie - ela sempre lutou bravamente pelo que queria, sempre correu atrás, escreveu seu futuro e fez ele acontecer. Neal, ao contrário de Georgie, nunca soube o que queria, a única coisa que ele sempre quis intensamente, foi Georgie.


No meio desse drama todo, Georgie acaba encontrando um telefone na casa de sua mãe, e ao fazer uma ligação para a casa de sua sogra, onde Neal e as crianças estão, acaba falando com o Neal do passado, aquele jovem que não sabia a enrascada que era Georgie. Agora ela tem a oportunidade de tirá-lo dessa fria que se tornou a vida deles, ela pode fazer ele desistir de casar-se com ela, ela pode fazer ele encontrar uma pessoa melhor pra ele... mas ela quer isso?
"Possibilidades: 1. Alucinação persistente. 2. Sonho muito, muito longo. (Ou sonho de duração normal, mas percebido como muito, muito longo de dentro?) 3. Surto esquizofrênico. 4. Encenação acidental de Em algum lugar do passado.
5. Já morri? Tipo em Lost, o seriado? 6. Uso de drogas. Não me lembro de ter usado. 7. Milagre. 8. Portal interdimensional. 9. A felicidade não se compra? (Sem o anjo. Sem o suicídio. Sem a explicação quase-racional.) 10. A porra de um telefone mágico."
Quando li Eleanor & Park da mesma autora, eu fiquei tão apaixonada pela leitura que queria ler tudo o mais que essa mulher publicasse, mas não consegui comprar Anexos e Fangirl ainda, e quando surgiu a oportunidade de solicitar com a editora este livro, não pensei duas vezes, me joguei de cabeça nessa leitura e amei, quero mais, simplesmente perfeito!


Tá, falando assim, vocês podem pensar que sou doida, mas não tem como não se apaixonar pelo modo como essa mulher escreve, mesmo o livro sendo dramático, ela consegue nos fazer rir, torcer pelos personagens, imaginar as situações em que eles vivem. Georgie é uma personagem quase real até demais, seus pensamentos, sonhos, o amor que sente por sua família... é quase tudo palpável, e eu adoro personagens assim!
Além da protagonista principal, vamos conhecer demais personagens muito bem construídos, como a mãe de Georgie que toda vez que aparecia em cena, me matava de rir e de raiva! (raiva quase boa rsrs)
"- Vou lá me apresentar. E dizer como gosto do trabalho dele.
- Vai se arrepender - Seth avisou. - Ele é carrancudo. É o hobbit menos amigável do Condado.
- Para de falar de Tolkien comigo. Só me lembro do Frodo."
A narrativa é em terceira pessoa, pelo ponto de vista de Georgie, a autora conta o presente e o passado, deixando o leitor conhecer os personagens; a diagramação é simples mas bem feita, com folhas amarelas e letras em tamanho confortável para a leitura. Os capítulos são marcados por números e dentro deles temos os subcapítulos com os dias da semana. A capa está linda e condiz perfeitamente com o enredo. As orelhas são maiores que as normais e possuem os demais livros da autora; abrindo as orelhas encontramos outro fone igual ao da capa. Encontrei alguns erros de revisão, mas são poucos mesmo, coisa de um ou dois, nada muito inconveniente. Uma edição linda demais para um livro lindo demais. Super recomendo!
"Não era esse o sentido da vida? Encontrar alguém com quem compartilhá-la?
E se você já acertou nisso, o que mais poderia dar errado? Se você estivesse ao lado da pessoa que ama mais do que tudo no mundo, o resto não acabaria sendo só cenário?"


Avaliação:


Sobre a autora:


Rainbow Rowell escreve sobre adolescentes (Eleanor & Park e Fangirl), e às vezes sobre adultos (Anexos e Ligações).
Mas ela sempre escreve sobre pessoas que falam MUITO! E pessoas que sentem que estão fazendo tudo errado na vida.


 Participe do Top Comentarista