Resenha: Os Homens que não Amavam as Mulheres - Trilogia Millennium - Livro 1 - Stieg Larsson

09 janeiro 2015

Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535913248
Ano: 2008
Páginas: 522
Tradutor: Paulo Neves
Adicione no "Orelha de Livro"
Compre AQUI - R$ 21,16 
Sinopse: Primeiro volume de trilogia cult de mistério que se tornou fenômeno mundial de vendas, Os homens que não amavam as mulheres traz uma dupla irresistível de protagonistas-detetives: o jornalista Mikael Blomkvist e a genial e perturbada hacker Lisbeth Salander. Juntos eles desvelam uma trama verdadeiramente escabrosa envolvendo a elite sueca.
Os homens que não amavam as mulheres é um enigma a portas fechadas - passa-se na circunvizinhança de uma ilha. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o veelho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada - o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Ou ser morta. Pois Henrik está convencido de que ela foi assassinada. E que um Vanger a matou.

Resenha:



"A Tutela é uma forma de controle bem mais restrita. A pessoa é impedida de dispor livremente de seu dinheiro e de tomar decisões em diferentes áreas... Na Suécia, cerca de quatro mil pessoas se encontram nesta situação... Não deixa de ser surpreendente que haja, entre as pessoas colocadas sob tutela, muitas relativamente jovens, com menos de trinta e cinco anos. Uma delas era Lisbeth Salander."
Mikael Blomkvist é um jornalista que acabou de ser processado por difamar uma empresário poderoso: Wennerström. Ele e sua "amiga" Erika são sócios na revista Millennium e juntos, decidem que o melhor agora é Mikael se distanciar da revista por algum tempo.
Henrik Vanger, um milionário das industrias Vanger, entra em contato com Mikael e lhe oferece uma temporada em Hedeby para tentar solucionar o desaparecimento de sua sobrinha que ocorreu a 35 anos atrás, oferece em troca tudo o que Mikael quer: a cabeça de Wennerström.
Lisbeth aparece na vida de Mikael para ajudá-lo a solucionar o desaparecimento de Harriet e tudo o que Lisbeth preservava, vai a baixo quando conhece Mikael.



Uma história dentro de outra história. É isso que este livro é. Lisbeth é minha personagem favorita e confesso que se ela não estiver no próximo livro nem me dou o trabalho de ler!

Mikael é um homem maravilhoso, mas não gostei muito de seus romances... achei ele muito saliente!!! rsrsrsrsr.
Um livro surpreendente, cansativo no começo, mas quando a história começa a ganhar corpo, te prende de uma maneira misteriosa!!!

Os Homens que não amavam as Mulheres é um livro que fala sobre os mal tratos a mulheres, tanto sexual quanto pessoal. É incrível como o autor narra os assassinatos, parecia que eu estava ali, vendo tudo acontecer. Uma trama bem escrita e cativante.




No decorrer do livro, os personagens vão se tornando conhecidos, confesso que no começo do livro achei os nomes bem esquisitos, mas de repente vc sabe de quem o autor esta falando pq as descrições dos personagens são tão marcantes que vc não consegue esquecer quem é quem. A narrativa em terceira pessoa é detalhada e acompanha todos os personagens. É muito difícil terminar este livro e não se sentir completo. A diagramação é simples mas bem feita, sem erros de revisão. A capa é mais voltada para a Lisbeth, por causa do dragão. Comprei o box, e infelizmente, os livros vieram sem orelhas. Mas as folhas são amarelas e o tamanho do livro é normal. Enfim... Um livro repleto de reviravoltas e jogos de sedução, com um final satisfatório e um desejo de quero mais!!!



"- Acho que você está enganado. Ele não é um assassino serial, um doente que leu a Bíblia demais. É simplesmente um canalha ordinário que odeia as mulheres." Lisbeth Salander

Avaliação:




Sobre o autor:




Stieg Larsson (1954-2004) foi fundador e editor-chefe da revista sueca Expo, que denuncia grupos neofascistas e racistas. Especialista na atuação das organizações de extrema direita em seu país, é coautor de Extremhögern, livro no qual põe o assunto em evidência. Morreu em sua casa, vítima de um ataque cardíaco, pouco depois de ter entregado os originais dos romances que compõem a trilogia Millennium.