Resenha: Pandemônio - Trilogia Delírio - Livro 2 - Lauren Oliver

22 outubro 2014

Desafio Literário Skoob - Outubro - Ficção científica (englobando distopia)


Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573138
Ano: 2013
Páginas: 304
Tradutor: Regiane Winarski
Adicione no "Orelha de Livro"
Compre AQUI - R$ 22,40


Sinopse: Dividida entre o passado — Alex, a luta pela sobrevivência na Selva — e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro.
Resenha: 
"O ódio é isso. Alimenta você e ao mesmo tempo faz apodrecer.
É um sentimento difícil, profundo e inflexível, um sistema de bloqueios. É tudo e inteiro.
O ódio é uma torre alta. Na Selva, começo a construí-la e a escalar."

Adoro quando começo uma leitura que parece entediante e depois, não consigo mais largar o livro e fico doida com o final! Pandemônio fez isso comigo - no começo a narrativa é um pouco lenta e isso me deixou com raiva, mas depois da página 50 mais ou menos, pequei o ritmo da leitura e agora estou surtando para começar a ler Réquiem logo! rsrsrsrsr
"Em um mundo sem amor, é isto que as pessoas são umas para as outras: valores, benefícios e encargos, nada além de números e dados. Nós pesamos, quantificamos, medimos, e a alma é esmagada até virar pó."

Pandemônio começa exatamente de onde Delírio parou: a fuga de Lena e Alex para a Selva. Mas só Lena consegue pular a cerca, Alex fica para trás e Lena acredita que ele está morto. Lena continua a correr, quando não aguenta mais correr, ela se arrasta, até que alguém a encontra - Graúna e seu bando cuidam dela e lhe dão abrigo. Lena agora está no meio dos Inválidos - aqueles que não aceitam a cura para o Amor. Terá Lena forças para seguir em frente depois que perdeu tudo o que mais lhe importava?

"Na Zumbilândia, sempre há alguém observando. As pessoas não têm nada mais para fazer. Elas não pensam. Não sentem paixão, nem ódio, nem tristeza; não sentem nada além de medo e desejo de controle. Assim, elas observam, se intrometem, xeretam."

Gente, que livro fantástico! A autora continua com a narrativa em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Lena. Divide os capítulos em "Antes" e "Agora" - o "Antes" é quando Lena chega na Selva, como ela se recupera e tenta superar seus conflitos internos. O "Agora", é Lena infiltrada na Sociedade que destruiu tudo o que ela amava. A Revolução ganha forma e sentido, Lena lutará pela liberdade de amar e ser amado. 
Senti muita falta de Alex neste livro, mas foi até bom tudo o que aconteceu, pois temos mais ação e Lena cresce consideravelmente. No começo, ela reclama de tudo e sente muita falta de Alex (como eu :'( ) mas isso só serve para deixá-la mais dura, corajosa. Acho até que foi por causa disso que a narrativa ficou lenta. Um novo sentimento é despertado em nossa protagonista, Lena conhece Julian, um importante membro do DSA, que é a favor da erradicação da doença. Mas os opostos se atraem e quando ambos menos esperarem, serão infectados! 
"Ele não é Alex. Você não quer Julian. Você quer Alex. E Alex está morto.Mas isso não é bem verdade. Também quero Julian."

Uma das melhores distopias que já li, está na minha lista de preferidos com certeza, a ideia de um mundo onde o amor é uma doença perigosa e instável, realmente te deixa pensativo, mas o desejo de sentir, de ser livre, é maior e cresce a cada página. Novos personagens são agregados ao enredo e cada um tem uma parte importante na Revolução, conhecemos Graúna e Prego, dois guerreiros que lutam por um ideal. Todos são construídos com maestria, deixando o leitor apaixonado por cada personalidade!
A capa é linda, segue o mesmo parâmetro da primeira capa. A diagramação é simples, mas bem feita, sem erros de revisão. O título condiz perfeitamente com o enredo, que te deixa tenso do início ao fim. Lena é uma adolescente, está sozinha e confusa, isso a torna mais humana e podemos sentir seus medos e sua coragem assustadora. A Sociedade impõe regras, mata sem só, quem será capaz de amar em um mundo assim? *o* Leiam! Recomento completamente!
"Pegue algo de nós, e nós pegaremos de volta. Roube de nós, e roubaremos tudo de você. Se nos pressionar, vamos bater.É assim que o mundo funciona agora."

Acompanhe as resenhas da Trilogia:



Avaliação: 



Sobre a autora: 



Lauren Oliver vem de uma família de escritores e por isso sempre acreditava (erroneamente) que passar horas na frente do computador todos os dias, meditando sobre a diferença entre "rindo" e "rir", é normal. Ela sempre foi um leitor ávido.
Ela freqüentou a Universidade de Chicago, onde ela continuou a ser o mais prático possível, formando em filosofia e literatura. Após a faculdade, ela participou do programa do MFA na NYU e trabalhou como assistente do mundo, pior, editorial e editor assistente de apenas marginalmente melhor, em uma grande editora em Nova York. Suas contribuições principais carreira durante este tempo foram desrespeitando o código de vestuário corporativo, a cada passo possível e repetidamente quebrar a impressora. "Antes que eu vá" é seu primeiro romance publicado.