Resenha: A Batalha dos Mortos - As Crônicas dos Mortos - Livro 2 - Rodrigo de Oliveira

06 agosto 2014

Edição: 1
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9788562409226
Ano: 2014
Páginas: 300
Adicione no "Orelha de Livro"


Livro cedido em parceria com a editora


Sinopse: Ano 2018. À passagem de um planeta próximo da órbita da Terra, o que era para ser um dia de festa... Pessoas do mundo inteiro prepararam-se para um espetáculo astronômico mas o evento se transforma num pesadelo. Um dia após à maior aproximação do planeta, um imenso calor sobrevêm e 2/3 de todas as pessoas do mundo transformam-se em zumbis. Em São José dos Campos, um grupo cria um centro de refugiados para milhares de pessoas... eles reuniram condições de sobrevivência com água, alimentos e criaram uma grande fortaleza. Agora dedicam-se a encontrar outros focos de resistência e ajudar peregrinos do grande apocalipse. Eles não sabem, mas essa pode ser a maior comunidade de vivos na face da terra. No entanto, próximo a eles, uma outra resistência - perversa e potente -, também cresce. Um grande Comando do Exército é tomado por criminosos do presidio de segurança máxima de Taubaté. Eles resistiram aos zumbis, escravizaram outros humanos e, fortemente armados, se tornam uma ameaça letal à comunidade vizinha. Uma batalha está para acontecer. Um cerco para salvar vidas. E em meio a isso, inúmeras histórias de pessoas vivendo em situações-limite, muito além da sua imaginação. Livro II da série mais original sobre Zumbis desde The Walking Dead!
Resenha:
"E naqueles dias, os seres tinham couraças como couraças de ferro; e o ruído de suas asas era como o ruído de carros, quando muitos cavalos correm ao combate." - Apocalipse (9:9) - A visão da guerra.
A Batalha dos Mortos é o segundo livro da série As Crônicas dos Mortos, o primeiro livro, O Vale dos Mortos, já foi resenhado por mim aqui no blog e eu estava muito ansiosa pelo lançamento deste volume. Sim! Amo zumbis, sim, o autor é da minha cidade e sim, a história se passa aqui, na minha cidade. Esses são alguns dos motivos para o meu desespero por esta obra. Depois que li O Vale dos Mortos, fiquei tão fascinada pela imaginação do autor e por sua escrita, que não teve jeito, virei fã!


"Eles avançaram pela avenida Cassiano Ricardo, e acabaram de passar em frente ao Shopping Colinas. O blindado virou à direita na direção do condomínio e deparou com milhares de zumbis."
O primeiro livro terminou de uma forma que me deixou desesperada, eu precisava saber o que iria acontecer depois daquela ligação, então, já comecei este volume esperando pelo pior. A introdução não ajudou muito sabe? O autor nos descreve uma cena que eu não pensaria que aconteceria. Mas depois, quando o livro realmente começa, encontramos aqueles personagens maravilhosos, que fazem você esquecer que esta lendo algo sobre zumbis, e que provavelmente, todos vão morrer. Mas calma! Nada de mortes por enquanto, a não ser os zumbis, claro! rsrsrsrsrsrrs



Ivan e Estela construíram uma comunidade para os sobreviventes do apocalipse zumbi. Conseguiram fechar o Condomínio Colinas e aumentar a área em volta dele para abrigar muitas pessoas. Ivan e Estela continuam os mesmos: pais amáveis, mas feras indomáveis quando se trata da segurança do grupo. Estela é uma personagem que eu amo demais. Ivan também, mas neste livro, ele caiu um pouco no meu conceito. Rodrigo sabe criar personagens femininas fortes e independentes, a prova disso, é a minha mais nova personagem favorita: Isabel. O livro já começa com Isabel tramando uma fuga, no decorrer da história, conheceremos mais sobre ela e gradativamente, nos apaixonamos por sua força e resistência.


"Isabel ergueu sua chave de fenda ensanguentada e soltou um grito para a noite, de vitória e desafio, com o sangue escorrendo-lhe pelo pulso e antebraço. Pela primeira vez em muito tempo se sentiu menos vulnerável. Antes de ir embora, cuspiu na criatura abatida.
- Eu acabo com mil iguais a você se for preciso, maldito! - afirmou. E Isabel voltou a andar pela mata."
Tudo continua em estado crítico, mas nossos personagens ainda lutam para encontrar sobreviventes e terão que, como no livro anterior, proteger os seus dos zumbis e do próprio ser humano, que pode ser um animal mais perigoso que esses seres que comem carne humana. Cada ser humano tem seu lado mau, que pode vir a tona em qualquer momento... Mas também tem aqueles que são maus por natureza, e sua felicidade é ver a desgraça de alguém. No primeiro livro, tivemos personagens assim, neste também nos deparamos com um humano que não medirá esforços para matar todos: humanos ou zumbis.
O que eu mais gosto nessa série, é veracidade que o autor consegue por em sua escrita. Imagino a pesquisa que o mesmo deve ter feito, tanto no primeiro livro, como neste. Em todas as séries ou livros de zumbi que já li ou vi, nunca foi mencionado o surgimento deles, e aqui, o autor nos dá a dádiva de saber como aconteceu e o que esperar. Outras teorias serão abordadas no livro, mas tudo remete a verdade e se vc pesquisar (como eu fiz) encontrará algum significado.


"No dia seguinte, Ivan, Estela, Isabel e centenas de soldados partiriam rumo a Taubaté. Emmanuel estava prestes a encarar o inferno em sua própria casa."
A Editora está de parabéns pelo maravilhoso trabalho: a capa é linda, como no primeiro livro, é toda fosca com o título em alto relevo e destaque em verniz. Como vcs perceberam pelas fotos, por dentro a diagramação é belíssima! Tudo muito bem feito para deixar o leitor mais instigado nessa série que merece reconhecimento pela originalidade e desenvoltura. Encontrei dois ou três erros de revisão, o que já é maravilhoso, porque o que mais reclamos é de erros de revisão nos livros. A narrativa continua em terceira pessoa, abrangendo todos os personagens principais do livro e demais personagens secundários que necessitam de foco em certos momentos. Os capítulos capítulos são longos, mas você não sente as páginas avançando, tamanho é a curiosidade para saber o que acontecerá. As letras são de um tamanho confortável, que ajuda a leitura a fluir. Não se assuste pelo tamanh do livro! São somente 300 páginas, as folhas que são grossas, dando a impressão de que o livro é maior.
Não tenho palavras para expressar eu contentamento com a obra, ela me supriu com todos os sentimentos possíveis para um ser humano: medo, revolta, amor, amizade, surpresa.... Só tenho a agradecer ao autor por ter escrito algo tão perturbadoramente perfeito! Então, pra quem ainda não leu, não perca tempo, aprecie sem moderação!
"O inferno, naquele momento, sem dúvida explodia em festa. O Anticristo agora caminhava pela Terra. O profano finalmente havia sido desencadeado."

Acompanhe as resenhas da série As Crônicas dos Mortos:


Avaliação: 


Sobre o autor: 


"O Vale dos Mortos" é a obra de estréia de Rodrigo de Oliveira. O autor tem 36 anos, é casado e tem dois filhos. Reside em São José dos Campos, interior de São Paulo. Rodrigo de Oliveira é técnico em publicidade e propaganda, cursou Publicidade na Universidade Metodista e é graduado em Gestão de Tecnologia da Informação pela Universidade Paulista. Além de escritor também atua como Arquiteto de Sistemas Sênior em São Paulo e é certificado especialista em gerenciamento de projetos pelo Project Management Institute sediado na Filadélfia/Pensilvânia.


A Batalha dos Mortos estará a venda nas livrarias a partir do dia 16/08. Neste dia, o autor fará uma sessão de autógrafos na livraria Saraiva do Center Vale Shopping em São José dos Campos. Compareça!