Resenha: A Senhora do Jogo

04 outubro 2013


Autores: Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe
Editora: Galera Records
Páginas: 461
Ano: 2010 - 6º edição
Tradução: Michele Gerhardt Macculloch

Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe continuam a saga da família Blackwell, de O Reverso da Medalha. (para ler a resenha do primeiro livro clique no título)

Sinopse: 
A aguardada continuação de um dos maiores sucessos de Sidney Sheldon. No seu bestseller mundial, O reverso da medalha, o autor nos apresentou à glamurosa e manipuladora família Blackwell e sua inesquecível matriarca, Kate. Tilly Bagshawe, autora do elogiado Adorada, retoma a saga dos Blackwell, seus amores, dramas e conspirações desde a década de 1980 até os dias atuais, quando uma nova geração comanda os negócios da família. Tenso e provocativo, A senhora do jogo agradará aos milhões de fãs de Sidney Sheldon e tem tudo para conquistar novas gerações de leitores. Mais de 300 milhões de exemplares vendidos, de seus 25 títulos, em 180 países e traduzidos para 50 idiomas levaram Sheldon ao Livro dos Recordes Guinness, na categoria de "Autor Mais Traduzido do Mundo". Todos os seus romances chegaram ao topo das listas de mais vendidos. Sheldon também foi bem-sucedido no teatro, no cinema e na TV: criou 6 peças da Broadway, 25 roteiros de cinema e mais de 200 roteiros para séries televisivas. 


Resenha: 

Foi muito bom reler este livro. O 1º livro é fantastico, o 2º emocionate.

Em A Senhora do Jogo, Kate Blackwell não esta mais entre os vivos. Ela morreu e deixou seu império para Robert, seu bisneto, filho de Alex, uma de suas 2 netas gêmeas. Alex engravida novamente e morre ao dar a luz a Lexi, e Eve, a outra gêmea, continua má do mesmo jeito, e passa o ódio que sente pela família para seu filho Max. Lexi é uma miniatura da mãe, mas tem o gênio forte da bisavó Kate. Robert desiste de sua herança para se tornar pianista e Eve treina seu filho para matar quem for preciso para ter a Kruger-Brent em seu poder. O que Eve não contava, era com a paixão arrebatadora que atinge Max e Lexi, mas mesmo assim, continua com seu jogo sujo, e tem o final que merece.


Novos personagens surgem, como Gabe McGregor, tbm descendente de Jamie McGregor, que depois de destruir sua vida com drogas, vê uma nova chance de vida ao ser preso. Um personagem que me amoleceu, ele parece muito com Jamie.
Cheio de suspence e muito vingativo. Com brigas, intrigas e amores perdidos. Só mesmo Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe para tornar esta continuação maravilhosa.


Esta edição é a econômica. Possui as páginas brancas e não tem aquela orelha na capa. Mas nem por disso desmerece a obra por completo. Claro que não há nada melhor do que o cheiro das páginas amarelas, mas isso podemos deixar passar! A escrita de Sidney nos prende de uma maneira maravilhosa, ele é brilhante, neste livro escreve com ajuda da Tilly, mas não conseguimos encontrar onde um começa e o outro termina. Simplesmente maravilhoso!


Sou fã desta capa, achei bem apropriada para o enredo. Se avaliarmos bem o livro, veremos que realmente é um jogo de xadrez, onde existem as peças brancas (Lexi) e as negras (Eve). O modo como os autores descrevem os personagens tbm é espetacular. Narrado em terceira pessoa, este livro promete fortes emoções e reviravoltas incríveis! Super recomendado!



Um livro surpreendente, apaixonante e com um final apropriado. Como Lexi mesmo disse no fim do livro: "Para Eve Blackwell acabou. Mas para Lexi Templeton, o jogo continua."


Avaliação:



Sobre os autores:



Sidney Sheldon foi um novelista e roteirista. Nascido Sidney Schechtel, de pai judeu alemão e mãe judia russa, iniciou sua carreira em Hollywood como revisor de roteiros em 1937 além de colaborar em inúmeros filmes de segunda linha. Preferiu trabalhar no cinema do que na literatura por não julgar-se capaz de escrever um livro. Entrou para o Army Air Cops durante a Segunda Guerra Mundial mas não chegou a servir por causa de uma hérnia de disco. Sheldon retornou à vida civil e começou a escrever musicais para a Broadway além de roteiros para a MGM e Paramount Pictures. Foi o criador da série televisiva Jeannie é um Gênio e Casal 20.


Nascida Matilda Emily N. Bagshawe em 12 de Junho de 1973 no Hospital Lambeth, em Londres, é filha de Nicholas Wilfrid Bagshawe & Daphne Margaret née Triggs. Seu pai vem de uma família da pequena nobreza católica, o avô foi o artista marinha Joseph Richard Bagshawe, que era neto de um dos mais renomados artistas marinha do século 19 Clarkson Stanfield, e um sobrinho de Edward Gilpin Bagshawe, Bispo de Nottingham . Sua avó paterna Maria Frideswide era filha de Charles Robertson, um corretor da bolsa e benfeitor do convento de São Filipe, Begbroke e um dos co-fundadores da Catedral de Westminster. Sua irmã mais velha é Louise Bagshawe Mensch, um autor de Chick-Lit e ex-conservador membro do Parlamento. Ela tem uma irmã Alice e um irmão, James.
Casada com Robin Nydes, um empresário dos EUA, eles vivem entre suas casas em Londres e Los Angeles , com a filha Sefi, e seus filhos, Zac e Theo.
Agora, um jornalista freelance e romancista, é um contribuinte regular ao The Sunday Times , Daily Mail e outras publicações britânicas.