Resenha : O inferno de Gabriel - Sylvain Reynard.

03 junho 2013


  • Autor: Sylvain Reynard
  • Editora: Arqueiro
  • ISBN: 9788580411263
  • Ano: 2013
  • Páginas: 512
  • Tradutor: Fabiano Morais


Sinopse:

Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer.
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir.


Resenha:

"A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. "

Olha, eu sempre sou super sincera em todas as minhas resenhas, vcs sabem disso. Tenho certeza de que dessa vez eu vou ser crucificada, mas é a minha opinião, ok, vamos manter isso em mente!
Sinceramente, ainda bem que eu ganhei esse livro, pq se eu tivesse comprado, eu teria me arrependido amargamente. Livro com premissa erótica, que é mais "casto" que twilight. Bem, pensando bem, não foi boa a comparação, já que a Bella tentando seduzir o Edward é mais quente do que qualquer cena desse livro.
O autor fez uma pesquisa sobre a cultura Italiana incrível. É a melhor parte do livro. Mas ai chega na construção dos personagens, e é simplesmente deprimente, na realidade tudo envolvido no romance é sem logica e completamente desconexo.
Gabriel e Júlia se conheceram a muito anos atrás, quando ambos moravam com sua famílias no interior, depois de uma linda noite nos pomares do fundo da casa dos pais dele, o casal se apaixona perdidamente. Mas Gabriel estava bêbado, e na manhã seguinte não lembra de nada, nem que conheceu Julia, que dirá que estava apaixonado por ela.(Primeiro momento WTF!)
Anos se passam e Julia esta indo para a faculdade, justamente onde Gabriel leciona, matriculada exatamente no curso dele. Chegando lá, adivinha? Gabriel não tem ideia de quem ela é, e o principal: Trata ela como lixo. Chegando até mesmo a questionar a inteligência da garota. Ok, ela releva, porque ele é o amor da vida dela, blá,blá,blá. (segundo momento WTF.)

(...)A jovem abriu a boca por um instante,mas tornou a fecha-la,fitando aqueles olhos azuis que a encaravam sem piscar,seus proprios olhos arregalados como os de um coelho assustado.
- Inglês é a sua lingua materna? - zombou ele. (...)

Enfim Gabriel a reconhece, e dai começa o horror dos apelidos carinhoso: "Coelhinha, gatinha, uma flor prestes a desabrochar, minha perola...", mais piegas impossível,quase senti necessidade de escovar os dentes, tamanha a doçura do casal, mas tudo bem, gente apaixonada é chata mesmo.
Sem contar a  insistência de Gabriel em chamar a Julia de Beatriz, relacionando-a a historia de Dante e Beatriz. Isso é totalmente bizarro, ele parece que esquece quem a garota realmente é, e a chama constantemente assim. Um apelido carinho entre namorados é aceitável, mas existe a linha entre a realidade e o delírio, Gabriel parece não diferenciar Julia de Beatriz, da a nítida impressão de que ele ama a Beatriz e não a Julia.
Outro problema: Gabriel Emerson é um dito "dominador", ele confessa sentir prazer com a dor e ser adepto ao bdsm, mas depois que conhece a Julia, nem papai e mamãe rola, pois a garota permanece virgem até os últimos capítulos do livro, e quando acontece (ZzZzZzZ)... bem, só lendo para entender do que eu estou falando.

(...)ele me mostrou que um voto é a promessa que o marido faz de que irá amar sua esposa e não só usá-la para o sexo. Ele disse que esse voto expressava a ideia de que fazer amor é um ato de veneração. O marido venera a esposa com seu corpo ao amá-la, se entregar a ela e levá-la ao êxtase.(...)

Mas falando da Julia. Irritante,insegura e tem um grave caso de síndrome de inferioridade aguda, além de completamente sem noção, ela fala as maiores atrocidades que eu já ouvi na vida. Ela é virgem, e acha que nunca vai ser suficiente para um homem com tamanha experiência sexual, e ela fala isso para ele a cada oportunidade, completamente irritante MESMO.
Dai, quando finalmente é para a estoria começar a ter sentido, já que vamos começar a conhecer o coração do atormentado Gabriel... bem, não tem emoção nenhuma. Além de o motivo dele ele ser atormentado não ser lá tão horrível quando o autor tenta nos fazer acreditar, não existe reação da parte da Julia, ela simplesmente vê tudo pelo ponto de vista dele, e  não esboça reação alguma a respeito de nada.
Quando eu peguei esse livro para ler, eu tinha total consciência de que ele tinha origem em uma fic de twilight, mas nunca pensei que fosse tão parecido. Existe um momento no livro, que o Gabriel "mostra os dentes e rosna", exatamente essas palavras que o autor usou para descrever, a atitude dele quando estava bravo.Vcs tem noção disso? talvez no próximo livro ele brilhe, esquarteje o cara e coloque fogo, estilo edwardxJames.
Rola por ai a comparação com Cinquenta tons, e tem quem afirme que Gabriel Emerson é um personagem que foi melhor construído do que Christian Grey.Acho completamente ofensivo, e descordo completamente, não que eu seja uma grande defensora de 50 tons, mas pelo menos E.L James criou um personalidade para o Grey e a manteve, assim como um estoria de fundo, já que a malicia e o estilo de vida do Grey é fortemente justificada, já com o Gabriel, tudo é superficial e sem logica e não faz juz a premissa apresentada
Admiro muito o autor pela bela pesquisa que ele fez sobre a cultura Italiana, só que no mais a estoria é mal escrita, sem logica ou justificativa, e em certos momentos chega ser cômico, diálogos completamente fora da realidade e irreais.
Olha, eu realmente fico me perguntando o porque desse livro ter tantas estrelas no skoob.
O livro em si é uma obra muito bonita, uma capa é maravilhosa, ao meu ver é o único atrativo para o livro, na realidade.A diagramação é simples e a revisão é impecável, sem erros visíveis.

Sobre o autor:

Quase nada foi divulgado sobre a verdadeira identidade do autor por trás do pseudônimo Sylvain Reynard.
Sabemos que ele é Canadense, já escreveu vários livros de não ficção e tem profundo interesse pela arte e pela cultura renascentista.Mas,embora declares ser do gênero masculino,seus fãs tem uma forte suspeita de que na verdade S.R seja uma mulher..