Resenha: O amante da Virgem – Phillippa Gregory

02 abril 2013

Série: Tudors
  • Editora: Record
  • ISBN: 8501073725
  • Ano: 2007
  • Páginas: 446
Sinopse:
 Após o sucesso de A irmã de Ana Bolena, Philippa Gregory prova por que tem sido apontada como a grande autora de romances históricos. Suas descrições precisas conduzem o leitor através da exuberância e da hipocrisia da corte inglesa do século XVI. Neste romance encantador, a escritora traça o retrato da rainha Elizabeth I, conhecida como a ‘Rainha Virgem’. Coroada aos 25 anos, a jovem monarca encontra as finanças de seu reino em ruínas, além de um exército completamente desmoralizado. Apaixonada por um aristocrata casado, a ambiciosa rainha não vai medir esforços para conquistar seu grande amor.


Resenha:

(...)Nasci para grandeza e tenho de reivindicá-la. Nasci para servir à minha família e a minha pátria.(...)

1558, no outono, a jovem princesa Elizabeth,filha de Ana Bolena com Henrique VIII, então com apenas 25 anos, sobe ao trono da Inglaterra sucedendo sua meia irmã Mary, numa época em que o país sofria com a desvalorização de sua moeda e constantes brigas por terras e as vésperas de uma iminente guerra com a Escócia.

(...)Pois agora posso ser a rainha a que minha mãe me destinou ser, a rainha que Mary não pôde ser, a rainha que nasci para ser.(...)

Com os jogos de poder ao fundo, Phillipa nos conta o romance da jovem rainha com seu amigo e confidente Robert Dudley, e por ele ser casado vivem o relacionamento secretamente, mas logo os
burburinhos chegam aos ouvidos de sua esposa Amy, que logo se vê numa derrocada cheia de intrigas, ciúmes e muitas tentativas frustradas em reconquistar Robert, o grande amor de sua vida.

(...)é o mais leal traidor que já derrubou uma rainha por amor a ela.(...)

O livro todo gira em torno desse romance, portanto é menos agitado do que os livros anteriores da série. Nesta história ficcional encontramos uma Elizabeth muito diferente da mostrada, por exemplo, no filme Elizabeth(1998) com Cate Blanchett no papel principal, excelente e bem confortável por sinal, e com Joseph Fiennes como Robert Dudley, onde é mostrada bem altiva e de postura mais rígida, neste livro, a imagem dela é de uma mulher totalmente apaixonada, carente e muito doce, e por vezes perdida em seu papel como regente de um país tão importante para sua época quanto a Inglaterra, apenas mostra os primeiros anos do seu reinado, e foram 45 anos no total, em que transformou um país desolado e com um exército desmoralizado num outro cheio de glória, chamado de A Era de Ouro em que podemos conferir também no filme Elizabeth – A era de ouro(2007), que é tão bom quanto o primeiro.
Outro livro de qualidade(e penúltimo da série Tudors) como todos os da autora em que podemos conferir um outro lado desta rainha tão importante e que até hoje inspira historiadores sobre sua vida e seu governo e principalmente as mulheres, pois ela demonstrou e provou, ser uma autoridade séria e capaz de governar, sem ajuda de um rei ao seu lado, pois ela nunca se casou, e até onde se sabe, faleceu virgem, daí o título do livro.

Sobre a autora:

Philippa Gregory nasceu no Quenia em 1954, mas mudou-se com a família para Bristol, na Inglaterra, quando tinha dois anos. Frequentou a Universidade de Sussex, onde um curso de Iniciação à História viria a mudar a sua vida. Até hoje já publicou 24 livros – muitos deles bestsellers. Philippa Gregory é doutorada em Literatura do Século XVII pela Universidade de Edimburgo e os seus romances refletem uma pesquisa e um pormenor histórico meticulosos. O seu período favorito da História é a época Tudor, sobre a qual já escreveu vários romances, alguns dos quais foram adaptados pela BBC a dramas históricos.