Resenha - O clã dos magos.

05 março 2013




  • Editora: Novo Conceito
  • ISBN: 9788581630007
  • Ano: 2012
  • Páginas: 446

Sinopse:
Todos os anos, os magos de Imardin reúnem-se para purificar as ruas da cidade dos pedintes, criminosos e vagabundos. Mestres das disciplinas de magia, sabem que ninguém pode opor-se a eles. No entanto, seu escudo protetor não é tão impenetrável quanto acreditam.
Enquanto a multidão é expurgada da cidade, uma jovem garota de rua, furiosa com o tratamento dispensado pelas autoridades a sua família e amigos, atira uma pedra ao escudo protetor, colocando nisso toda a raiva que sente. Para o espanto de todos que testemunham a ação, a pedra atravessa sem dificuldades a barreira e deixa um dos mágicos inconsciente.
Trata-se de um ato inconcebível, e o maior medo do Clã de repente se concretiza: uma maga não treinada está à solta pelas ruas. Ela deve ser encontrada, e rápido, antes que seus poderes fiquem fora de controle e destruam a todos.

Resenha:
Sonea é uma garota forte, que vive na favela se Kyrália com seus tios. Depois de serem mais uma vez expulsos do lugar onde viviam, Sonea e os tios têm que encontrar outro lugar para morar. No dia da Purificação (dia que os Magos de Kyrália vão fazer a “limpeza” das ruas da cidade), Sonea esta com muita raiva, e acaba fazendo magia sem querer. 

Depois de acertar com uma pedra um mago, Sonea agora tem que fugir. Já ouviu várias estórias de que os magos são maus, e tem medo de que eles queiram matá-la. Na sua fuga pela cidade junto com seu melhor amigo Cery, conhecemos mais sobre Kyrália e seus habitantes. Sabemos também por meio de Sonea e de outros moradores do que o Clã é capaz. 
Demorei mais de 2 semanas para ler este livro. Por quê? Porque ele é muito cansativo. Até a página 200 mais ou menos, a estória toda é voltada para a fuga de Sonea, e como ela consegue se esconder dos magos. O livro é muito detalhista, mas fica melhor apartir da Parte 2. Confesso que pensei em desistir do livro, mas a curiosidade não deixou. Depois que você começa a ler, não tem vontade de parar. De ontem para hoje, li 200 páginas. Adorei o final do livro, já que o começo deixou muito a desejar. O que mais gostei em Sonea, é que ela não é uma coitadinha. Apesar de não desejar ter magia, ela aceita bem o fato, sua maior preocupação é não saber até onde seus poderes podem ir. Em um lugar onde todos os Magos são de famílias ricas, uma “favelada” pode trazer grande risco ao Clã, e muitas pessoas estão dispostas a dar um fim nisso.

A estória de Sonea é mais interessante do que o resto que se passa no livro. Claro que tem também as dificuldades que o povo passa, com um Rei que não se importa e com Magos que são obrigados por um juramento a servir o Rei. Enfim, um livro bom, que recomendo pra quem gosta de aventuras. Mas se você esta esperando um romance lindo de tirar o fôlego, espere o próximo livro, porque neste você não vai encontrar.
A capa do livro é linda demais, adorei a maga envolta em um manto negro. No final do livro tem um guia com todas as gírias usadas nas favelas. O Glossário explica os animais e vegetais típicos da região e o que eu mais amei foram os mapas que ficaram dispostos nas ultimas páginas. Através deles você pode seguir Sonea em sua fuga ou conhecer o Clã dos Magos. Lindos Demais!!!

“O rosto no espelho agora tinha os olhos secos e apresentava uma postura firme de determinação.”

Sobre a autora: 

Canavan nasceu em Kew , em Melbourne, na Austrália e cresceu no subúrbio de Ferntree Gully . Desde o início da sua infância, ela foi criativo e interessado por escrito, arte e música. Depois de decidir se tornar um artista profissional, ela completou um Certificado Avançado em exibição promocional no Colégio Melbourne de Decoração , onde recebeu um prêmio para o mais alto Mark Agregado em Indivíduos Arte em 1988.