Resenha - Estilhaça-me.

09 fevereiro 2013

  • Autor: Tahereh Mafi
  • Editora: Novo Conceito
  • ISBN: 9788563219909
  • Ano: 2012
  • Páginas: 304




 Sinopse:

Juliette não toca alguém há exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – 


e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette seja mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.


Resenha:

 Juliette não é (humana) normal. Com um toque ela pode matar. Há 264 dias não toca em ninguém, há 264 dias não se olha no espelho. Seus pais deram sua guarda para O Restabelecimento e Juliette esta presa desde então.
Tudo o que Juliette quer é (morrer) ser normal. O desejo de tocar e ser tocada são fortes demais, mas ela se reprime. Não conversa com ninguém desde que foi trancafiada. Mas isso está para mudar com a chegada de Adam, seu novo colega de cela...

Sabe aquele livro que você não consegue parar de ler? É este!! Com uma leitura simples e direta, a autora nos leva a um provável futuro, onde o céu não é mais azul, os pássaros não voam mais. A comida é escassa, e O Restabelecimento faz de tudo para manter a ordem e o poder sobre a população. A mãe natureza resolveu agir, e os mais poderosos querem dominar os mais fracos.

Juliette nos descreve tudo com um sentimento inacreditável, passar pelo que ela passou e mesmo assim ser tão boa, sincera e inofensiva. Tudo o que ela quer é o que ela nunca poderá ter (ou poderá?).

“Meu corpo é uma flor carnívora, uma planta domestica envenenada, uma arma carregada com um milhão de gatilhos e ele está mais que pronto para atirar”.

Este livro é lindo demais. A capa é perfeita. Adorei a idéia de riscar as palavras durante a leitura e em cada virada de capitulo encontramos vidros quebrados. Sem contar que Tahereh nos mostra o quanto é importante o toque quando não se pode ter. Juliette, com sua ingenuidade e insegurança nos mostra o mundo pelos seus olhos. Muitas vezes eu quis entrar na estória para poder estar lá com ela. Adam é TUDO de bom e mais um pouco!!!! Não vou mais falar dele!!!! J Todos os personagens são simplesmente perfeitos, até o vilão ganhou meu respeito!!!

Uma estória que vale a pena ser lida e contada. Super recomendado!!!

“Passei minha vida dobrada entre as páginas dos livros.
Na ausência de relacionamentos humanos, criei laços com as personagens de papel. Vivi amor e perda por meio das histórias enredadas na história; experimentei a adolescência por associação. Meu mundo é uma teia entrelaçada de palavras, amarrando membro a membro, osso a tendão, pensamentos e imagens todos juntos. Sou um ser composto de letras, uma personagem criada por frases, um produto da imaginação fabricado por meio da ficção”.

Sobre o autor:

Tahereh Mafi é uma garota. Ela nasceu em uma cidade pequena em Connecticut e, atualmente, mora no Condado de Orange, Califórnia, onde o clima é um pouco perfeito demais para seu gosto. Quando não consegue achar um livro, ela é vista lendo embalagens de bala, cupons e receitas antigas. Estilhaça-me é seu primeiro romance.